STF e Rodrigo Pacheco comentam fala de Barroso sobre “derrotar o bolsonarismo”

Órgão máximo do Judiciário ressaltou que fala do ministro se refere ao voto popular e presidente do Senado considerou comentário “infeliz e inoportuno”

Publicado por
17:28 - 13/07/2023

Compartilhar:

Facebook Twitter Whatsapp

Rodrigo Pacheco disse não ter recebido nenhum pedido de impeachment contra o ministro (Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado)

O Supremo Tribunal Federal (STF) se manifestou nesta quinta-feira, 13, a respeito da recente declaração do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luís Roberto Barroso contra o bolsonarismo. Após as falas do magistrado viralizarem nas redes sociais e parlamentares da oposição anunciarem que vão pedir o impeachment contra ele, a Corte divulgou uma nota em que afirma que a frase “Nós derrotamos a ditadura e o bolsonarismo”, dita por Barroso durante discurso, se referia “ao voto popular e não à atuação de qualquer instituição”.

No texto, o STF afirma: “O Ministro do STF Luís Roberto Barroso, o Ministro da Justiça, Flávio Dino, e o Deputado Federal Orlando Silva estiveram juntos, no Congresso da UNE, para uma breve intervenção sobre autoritarismo e discursos de ódio. Todos eles participaram do Movimento Estudantil na sua juventude. Apesar do divulgado, os três foram muito aplaudidos. As vaias – que fazem parte da democracia – vieram de um pequeno grupo ligado ao Partido Comunista Brasileiro, que faz oposição à atual gestão da UNE.”

A manifestação da Corte acontece após repercutirem nas redes sociais vídeos com trechos do discurso de Luís Roberto Barroso em evento da União Nacional dos Estudantes (UNE). Na ocasião, o ministro era vaiado por estudantes e disse que “aqueles que gritam, que não colocam argumentos na mesa, isso é o bolsonarismo”. “Lutei contra a ditadura e contra o bolsonarismo. Nós derrotamos a censura, nós derrotamos a tortura, nós derrotamos o bolsonarismo para permitir a democracia e a manifestação livre de todas as pessoas”, completou.

Nesta quinta, parlamentares da oposição anunciaram que pretendem apresentar pedido de impeachment do ministro. Entre outros coisas, eles criticam a fala e a postura do magistrado, apontam crime de responsabilidade e questionam se as decisões do magistrado são “tendenciosas”. “Se, por um milagre, houver justiça nesse país, a perda do cargo é inegável”, disse o deputado federal Nikolas Ferreira (PL-MG).

Pacheco critica fala

O discurso foi criticado, também, pelo presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG). Para ele, “um ministro do Supremo Tribunal Federal, evidentemente, deve se ater ao seu cumprimento constitucional, e julgar aquilo que é demandado.”

Pacheco comentou, ainda, que a presença de um ministro do STF “em evento de natureza política, com fala de natureza política”, é algo “infeliz, inadequado, inoportuno.”

Sobre o Impechment do ministro, Pacheco falou que não recebeu nenhum pedido, e afirmou que esse processo é desgastante e se vive “um momento de conciliação, busca de equilíbrio e de respeito recíproco e valorização das instituições. Que a gente possa encontrar caminhos de consenso e não de discenso”. Barroso compareceu no congresso da UNE e, em meio as vaias da plateia, comparou o Bolsonarismo ao período ditadorial brasileiro  (1964-1985). “Nós derrotamos a censura, a tortura e o bolsonarismo para permitir a democracia e a manifestação livre de todas as pessoas”, ressaltou o ministro do STF.

Compartilhe nas suas redes

Facebook Twitter Whatsapp