Moradores de áreas de risco para rompimento de represa podem voltar para casa, diz prefeitura de Caxias do Sul

Redução do nível da água da barragem no Fátima permitiu decisão, tomada na manhã deste sábado (4). Entretanto, quem reside em Galópolis e Vila Cristina deve permanecer em abrigos

Publicado por
11:50 - 04/05/2024

Compartilhar:

Facebook Twitter Whatsapp
Moradores de áreas de risco para rompimento de represa podem voltar para casa, diz prefeitura de Caxias do Sul

Gabinete de crise se reuniu na manhã deste sábado (4) | Foto: Fabiane Lucena/divulgação

O gabinete de crise autorizou, na manhã deste sábado (4), que os moradores dos bairros Fátima, Reolon, Santa Catarina e São José, em Caxias do Sul, retornem para suas casas. Entretanto, quem reside em áreas do Interior, como Galópolis e Vila Cristina, deve permanecer nos abrigos improvisados pela prefeitura ou em locais seguros com familiares. Essas regiões estão sendo evacuadas desde quinta-feira (2) por equipes do Corpo de Bombeiros, Exército, Defesa Civil, polícia e servidores do governo municipal em decorrência dos efeitos da chuva.

No Fátima, havia o risco iminente de rompimento da Represa Dal Bó. A abertura de 100% da comporta da barragem, aliada a tréguas da chuva, conferiu uma redução no nível da água de 1m35cm abaixo da borda, segundo última medição divulgada pelo Samae. A Represa Samuara, que chegou a transbordar, também teve diminuição.

As regiões de Galópolis e Vila Cristina, por outro lado, sofrem com deslizamentos de terra, que deixam ao menos quatro pessoas mortas e outras três desaparecidas. Na madrugada de hoje, mais famílias foram resgatadas do Morro do Cemitério, área que apresentou possibilidade de desabamento. A orientação é que essas pessoas permaneçam em abrigos. Quem se sentir em perigo em outras localidades pode procurar a Defesa Civil para ajuda.

O prefeito Adiló Didomenico alerta para que ninguém além das equipes especializadas tente ir até Galópolis por enquanto.

“Aguardem o pedido de ajuda, se eventualmente for necessário. Não saiam de casa, porque podem colocar a vida em risco, e é isso que não queremos”, recomenda.

Agora à tarde, em torno de 100 pessoas serão reconduzidas às suas casas de acordo com o chefe do executivo.

“A partir da primeira hora da tarde nós vamos começar o retorno das famílias para as suas casas em função de que a barragem está com 1,35m abaixo, nos dando a segurança para que possamos fazer esse trabalho de retorno dessas famílias das suas casas. Permanecem nos abrigos as famílias que foram resgatadas de áreas de risco de deslizamento e as que serão removidas ainda ao longo do dia de hoje ou de amanhã (domingo). A prioridade de hoje é resgate de famílias que eventualmente estejam em áreas de risco“, explica.

 

Compartilhe nas suas redes

Facebook Twitter Whatsapp