Conheça o significado de 10 termos usados no Candomblé

O Candomblé, religião afro-brasileira de matriz africana, se configura como um universo rico em cultura, espiritualidade e ancestralidade. Através da…

Publicado por
14:34 - 08/05/2024

Compartilhar:

Facebook Twitter Whatsapp
Conheça o significado dos 10 termos mais usados no Candomblé

Foto: freepik

O Candomblé, religião afro-brasileira de matriz africana, se configura como um universo rico em cultura, espiritualidade e ancestralidade. Através da veneração de orixás, entidades sagradas que representam as forças da natureza, o Candomblé oferece uma conexão profunda com a sabedoria ancestral e a cosmovisão africana.

Para auxiliar na imersão nesse universo fascinante, este artigo apresenta um olhar sobre os 10 termos mais utilizados no Candomblé, desvendando seus significados e explorando suas implicações na prática religiosa

1. Orixás:

Os orixás são entidades sagradas que representam as forças da natureza e os diversos aspectos da vida humana. No Candomblé, cada orixá possui uma personalidade, símbolos, histórias e rituais específicos, sendo cultuados e invocados para trazer proteção, saúde, prosperidade e outros benefícios aos seus devotos.

Conheça o significado dos 10 termos mais usados no Candomblé

Foto: freepik

2. Axé:

O axé é a força vital que permeia todo o universo, presente em cada ser vivo, objeto e ritual do Candomblé. É a energia que dá poder e movimento à vida, sendo considerada a essência da religião. O axé se manifesta através de cantos, danças, oferendas e outras práticas rituálísticas.

3. Iaô:

O termo “iaô” se refere aos iniciados no Candomblé, aqueles que passaram pelo ritual de iniciação e receberam seu orixá de cabeça. São considerados filhos de santo e possuem a responsabilidade de zelar pela tradição e pelos ensinamentos da religião.

4. Ialorixá:

A ialorixá é a mãe de santo, a líder espiritual da comunidade do Candomblé. É responsável pela condução dos rituais, pela orientação dos filhos de santo e pela manutenção da ordem na casa de santo. Possui grande conhecimento da religião e é vista como uma figura materna e protetora.

5. Babalorixá:

O babalorixá é o pai de santo, o líder espiritual da comunidade do Candomblé. É responsável pela condução dos rituais, pela orientação dos filhos de santo e pela manutenção da ordem na casa de santo. Possui grande conhecimento da religião e é visto como uma figura paterna e protetora.

6. Terreiro:

Um terreiro de candomblé é um espaço de concentração e emanação de ase, a força sagrada que está na base da vida. É um espaço de preservação e materialização da memória ancestral e de presentificação do sagrado. É nesse local que os rituais são realizados, as oferendas são feitas e a comunidade se reúne para celebrar a fé e a ancestralidade. 

7.  Ekedi:

No Candomblé, Ekedi é um cargo feminino de grande valor que significa “zeladora dos orixás”. As Ekedis são escolhidas pelos orixás e têm um papel importante no terreiro, ajudando as Ialorixás (mães de santo) e Babalorixás (pais de santo) nas atividades religiosas. As Ekedis são responsáveis por:
  • Cuidar dos orixás quando estão presentes em terra
  • Cuidar dos adeptos enquanto estes estão em transe
  • Cuidar dos recém-iniciados nos momentos de feitura
  • Zelar pelos ibás, objetos sacralizados que, usualmente, chamamos de assentamento do orixá
  • Preparar oferendas
  • Organizar os rituais
  • Cuidar dos objetos sagrados

8. Iniciação:

A iniciação no Candomblé, também conhecida como Feitura de Santo, é um ritual secreto que representa uma morte simbólica e um renascimento. O objetivo é reconstruir a identidade dos adeptos através de um longo processo de aprendizagem baseado em rituais específicos e obrigatórios. O ritual de iniciação é caracterizado por:
  • Recolhimento
  • Dias de reclusão
  • Banhos, boris, oferendas, ebós
  • Aprendizado
  • Rezas, danças e cantigas
  • Configuração espaço-temporal específica
  • Uso de uma série de objetos
  • Sistemas de linguagens e comportamentos específicos
  • Signos emblemáticos
  • Dar o bori
  • Orô 
A iniciação transforma um homem comum num instrumento do Orixá, um “elegun” ou yawô, que empresta o seu corpo para que o Orixá viva entre nós por um período de horas ou dias. O yawô recebe um novo nome dentro da comunidade do Candomblé.

9. Rituais:

Os rituais do Candomblé são cerimônias sagradas que visam conectar os devotos com os orixás e com o mundo espiritual. Envolvem cantos, danças, oferendas, sacrifícios animais e outras práticas tradicionais. Cada ritual possui um objetivo específico, como solicitar proteção, saúde, prosperidade ou agradecer pelas bênçãos recebidas.

10. Ancestralidade:

A ancestralidade é um aspecto fundamental do Candomblé, pois conecta os devotos com seus antepassados e com a sabedoria das gerações passadas. Os orixás são vistos como representantes dos ancestrais, e os rituais servem para homenageá-los e pedir sua proteção e orientação.

Ao desvendar o significado desses 10 termos essenciais, embarcamos em uma jornada profunda pelos princípios básicos do Candomblé. Através da compreensão desses conceitos, podemos obter uma visão mais completa da religião e seus ensinamentos, abrindo portas para o autoconhecimento, a transformação espiritual e a conexão com a ancestralidade africana.

Para mais artigosclique aqui

Compartilhe nas suas redes

Facebook Twitter Whatsapp