Robinho, ex-jogador condenado por estupro na Itália, alega inocência e aguarda decisão do STJ

O julgamento de pedido de homologação da sentença italiana ocorre na quarta-feira (20), às 14h

Publicado por
10:15 - 17/03/2024

Compartilhar:

Facebook Twitter Whatsapp

Robinho foi condenado em 2017 pelo crime contra uma jovem albanesa em uma boate em Milão, junto com outros brasileiros - (Foto: DOUGLAS MAGNO/AFP - 26/04/2017)

O ex-jogador Robinho, condenado pela Justiça italiana por participação em um estupro coletivo em 2013, afirma possuir elementos que comprovam sua inocência. A sessão da Corte Especial do Superior Tribunal de Justiça (STJ), que irá julgar o pedido de homologação da sentença italiana, está agendada para a próxima quarta-feira, dia 20, às 14h. A Itália solicita que o atleta cumpra a pena no Brasil.

Em entrevista ao programa “Domingo Espetacular”, da TV Record, Robinho declarou que assumirá a responsabilidade pelo crime e alega possuir elementos que podem contribuir para sua alegação de inocência. O julgamento do pedido de homologação da sentença será transmitido ao vivo pelo canal do STJ no YouTube, no mesmo dia e horário marcados.

A Corte Especial do STJ é encarregada de analisar os pedidos de homologação de decisões estrangeiras, verificando se a sentença atende aos requisitos formais estabelecidos pelo Código de Processo Civil para homologação. Embora Robinho tenha sido condenado em última instância pela Justiça italiana, ele não foi preso devido à sua localização no Brasil.

O governo italiano solicitou inicialmente a extradição de Robinho, porém, conforme a Constituição brasileira, o país não extradita seus cidadãos. Diante disso, os italianos modificaram o pedido para a pena ser cumprida no Brasil, aguardando a validação da sentença pelo STJ. Robinho foi condenado em 2017 pelo crime contra uma jovem albanesa em uma boate em Milão, junto com outros brasileiros, embora apenas ele e outro réu tenham sido levados a julgamento.

Compartilhe nas suas redes

Facebook Twitter Whatsapp