Texto escrito por: Júlia S. Gasperin – Psicóloga Clínica CRP:07/22750
A ansiedade é um estado emocional natural de todo ser humano. Esta é simplesmente caracterizada pela emoção orientada ao futuro. Ficamos com medo da prova de amanhã, ansiosos para o encontro que acontecerá a noite, felizes pela viagem do mês que vem, preocupados com exames de saúde que estão para chegar, ou seja, a ansiedade nada mais é do que o excesso de pensamentos no futuro.
Biologicamente a ansiedade é um mecanismo de defesa e preparação para luta ou fuga frente a uma situação ameaçadora. Ao longo da evolução da espécie, a ansiedade foi essencial para nossa sobrevivência.
Perceba que todas as pessoas, inclusive crianças, experienciam a ansiedade, o que varia é a intensidade e a duração dos sintomas em suas vidas. O excesso ou perda de controle da ansiedade pode causar transtornos físicos e psicológicos. Como sintomas físicos podemos citar Tremores, Tontura, Insônia e Sudorese, além de Taquicardia. Já os sintomas psicológicos mais comuns são Fobias (medo persistente e irracional de um tipo de objeto, animal, atividade ou situação), Transtorno Obsessivo Compulsivo (pensamentos compulsivos que geram ansiedade causando um desconforto ou sofrimento no indivíduo, envolvendo manias ou rituais de simetria, perfeccionismo, etc.), Ataques de Pânico (manifestação extrema da ansiedade caracterizada por uma grande descarga de hormônios como Cortisol e uma série de sintomas negativos pelo corpo) e Ansiedade Generalizada (caracterizado por sentimentos de preocupação excessiva e apreensão persistente por um período de 6 meses ou mais).
Como podemos controlar a Ansiedade?
  • Faça Terapia. Ao tratar o assunto na terapia, você o entende melhor e conhecimento é poder. Dessa forma, perceberá o que alimenta a sua ansiedade, identificará as possíveis causas e reconhecerá as emoções e comportamentos que dificultam sua vida. Aumentar o autoconhecimento é o primeiro passo para ser mais feliz.
  • Pratique a respiração diafragmática, ou seja, respire como se estivesse enchendo lentamente um balão na sua barriga. Quando estamos estressados ou com medo, nossa respiração fica rápida e curta, quando estamos felizes e relaxados ela se torna tranquila e longa. Fazendo a respiração diafragmática em momentos de estresse e ansiedade, mandamos uma mensagem para o cérebro, dizendo “Está tudo bem” e de fato, nos acalmamos. Prestar atenção na respiração, no ar entrando e saindo, é uma excelente maneira de baixar os níveis de ansiedade, dessa forma ficamos com nossa atenção voltada ao presente. Lembre-se, ansiedade é excesso de futuro!
  • Reflita sobre os seus pensamentos e confronte sua veracidade. Inúmeras vezes fantasiamos situações e sofremos antecipadamente por algo que talvez não aconteça. Sofrer com antecedência é sofrer em dobro!
  • Planeje-se pelo menos três dias à frente do dia atual. Dessa maneira você irá se organizar melhor e consequentemente terá um controle maior sobre os compromissos e desafios que estão por vir, baixando significativamente os níveis de ansiedade.
O presente é o lugar onde a vida acontece!