Colheita de grãos na safra 2023/24: Conab estima 38,9 milhões de toneladas no RS

Condições climáticas adversas impactaram negativamente culturas cruciais como soja e trigo no estado

Publicado por
14:05 - 11/12/2023

Compartilhar:

Facebook Twitter Whatsapp
Colheita de Grãos na Safra 2023/24: Conab Estima 38,9 Milhões de Toneladas no RS. (Foto: Thiago Antonio Espinosa / Embrapa)

Colheita de Grãos na Safra 2023/24: Conab Estima 38,9 Milhões de Toneladas no RS. (Foto: Thiago Antonio Espinosa / Embrapa)

A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) divulgou o 3º Levantamento da Safra de Grãos 2023/24, projetando uma colheita total de 312,3 milhões de toneladas para o Brasil, representando uma queda de 2,4% em relação à temporada anterior. O declínio na produção é atribuído à escassez de chuvas e às elevadas temperaturas no Centro-Oeste, enquanto o Sul, especialmente o Rio Grande do Sul, enfrenta excesso de precipitação. Tais condições climáticas adversas impactaram negativamente culturas cruciais como soja e trigo.

No Rio Grande do Sul, a Conab estima uma produção de 38,918 milhões de toneladas, indicando um aumento significativo de 41,1% em comparação com a safra anterior. A área total destinada ao cultivo de grãos deve atingir 10,477 milhões de hectares, representando um acréscimo de 1,7% em relação ao ano passado.

O arroz, fundamental para o abastecimento interno, apresenta uma projeção de crescimento de 7,5%, alcançando 10,79 milhões de toneladas, impulsionado pela ampliação da área cultivada e recuperação na produtividade. No entanto, as adversidades climáticas no Rio Grande do Sul têm prejudicado o desenvolvimento da cultura, com excesso de chuvas dificultando a semeadura e os tratos culturais.

O feijão, outro componente essencial na dieta brasileira, enfrenta cenários diversos nas lavouras da primeira safra. Enquanto São Paulo apresenta condições favoráveis, com bom aspecto fitossanitário e uso de irrigação para mitigar os efeitos das altas temperaturas, Minas Gerais enfrenta desafios devido ao calor e à irregularidade das chuvas. A expectativa é de uma produção total de 3,1 milhões de toneladas, considerando as três safras da leguminosa.

Soja, milho e trigo são afetados pelo clima, com atrasos no plantio da soja em todas as regiões produtoras. A estimativa de produção de soja para esta safra é de 160,2 milhões de toneladas, sujeita a influências climáticas durante os estágios de floração e enchimento dos grãos. O milho de primeira safra projeta uma produção de 25,3 milhões de toneladas, indicando uma queda de 7,5% em relação à safra anterior. Para o trigo, as condições climáticas adversas no Rio Grande do Sul dificultam a colheita, com uma produção estimada em 8,1 milhões de toneladas.

No mercado, as exportações de soja mantêm-se elevadas até novembro de 2023, com projeção de 100,03 milhões de toneladas até dezembro. Para 2024, estima-se uma redução nas exportações de soja para 101,59 milhões de toneladas. As exportações de milho em 2024 podem ser reduzidas para 38 milhões de toneladas, refletindo a perspectiva de menor produção nacional e maior oferta internacional. O mercado de feijão apresenta um panorama favorável ao produtor durante a entressafra, enquanto o trigo continua sob pressão devido ao excedente russo e melhores condições climáticas em outros países produtores.

Compartilhe nas suas redes

Facebook Twitter Whatsapp