Cerca de 650 pessoas participaram da II Jornada de Promoção da Vida e Prevenção do Suicídio, promovida pela Secretaria Municipal da Saúde (SMS) em alusão ao Setembro Amarelo. O evento, viabilizado em parceria com a Secretaria Estadual da Saúde, foi realizado nesta quarta-feira (18) no Teatro da Universidade de Caxias do Sul (Bloco M). Na plateia, estavam profissionais da rede intersetorial de Caxias do Sul e de municípios da região, além de estudantes do Ensino Superior. No palco, das 8h45 às 16h30, cinco palestrantes abordaram questões relativas ao suicídio, incluindo causas, consequências, dados epidemiológicos, prevenção, políticas públicas e estudos sobre o tema. Segundo Elisabete Bertele, diretora da Rede de Atenção Psicossocial da SMS, o evento cumpriu com seu objetivo. “Centenas de pessoas, de áreas como saúde, educação, assistência social, segurança, direitos humanos, Judiciário, ONGs e universidades, vieram compartilhar conhecimentos sobre este problema de saúde pública, que como fenômeno multicausal precisa de mobilização conjunta da sociedade. A Jornada ainda oportunizou ressignificar mitos e medos que perpassam pelo imaginário social e pelas ações dos trabalhadores envolvidos com o tema. Cada profissional participante saiu melhor instrumentalizado para o enfrentamento das questões relacionadas à vida e ao sofrimento humano”, disse. Nesta II Jornada, as estatísticas municipais e estaduais acerca do suicídio foram apresentadas por Mônica Renosto, da Vigilância Epidemiológica da SMS, e Andreia Volkmer, do Centro Estadual de Vigilância em Saúde (CEVS/RS). A psiquiatra Sara Sgobin, de Campinas (SP), falou sobre prevenção na infância e na adolescência, incluindo informações sobre automutilação. A psicóloga Priscila Lawrenz, da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), abordou a importância do acolhimento em situações de ideação e tentativa de atentado contra a própria vida. Cláudia Weyne Cruz, da Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos/RS) e da Escola de Saúde Pública (ESP/RS), trouxe a produção do conhecimento em matéria de suicídio.