O verdadeiro vilão da falha no trocador de calor de Renagade, Compass e Toro, que pode dar prejuízo de até R$ 20 mil

O trocador de calor do câmbio automático 1.8 da Stellantis é um componente crucial para o bom funcionamento da transmissão….

Publicado por
10:12 - 03/06/2024

Compartilhar:

Facebook Twitter Whatsapp
falha no trocador de calor

O trocador de calor do câmbio automático 1.8 da Stellantis é um componente crucial para o bom funcionamento da transmissão. Sua função principal é resfriar o fluido do câmbio, dissipando o calor gerado durante a fricção das peças internas da transmissão. O fluido do câmbio circula pelo trocador de calor, onde é resfriado por outro fluido, geralmente água do sistema de arrefecimento do motor. O trocador de calor possui canais finos por onde os dois fluidos passam, sem se misturar, permitindo a troca de calor.

falha no trocador de calor

O grande vilão não é o trocador de calor

A eletrólise no sistema de arrefecimento está diretamente relacionada ao rompimento do trocador de calor nos motores 1.8 com câmbio automático da Stellantis. O trocador de calor é uma peça que tem a função de refrigerar o lubrificante do câmbio. Nos veículos da Stellantis (como Fiat e Jeep), o trocador de calor é conectado ao sistema de arrefecimento, que usa uma mistura de fluido e água desmineralizada para manter o motor na temperatura ideal.

As descargas elétricas da eletrólise geram poros no alumínio, que se fecham quando a peça resfria. Muitos mecânicos têm dificuldade em identificar esse problema, pois só conseguem inspecionar o componente a temperaturas mais baixas. Essa ferrugem resultante da eletrólise faz com que o fluido de arrefecimento se misture ao óleo do câmbio automático, condenando o componente.

A partir de 2018, a Jeep passou a recomendar a troca do fluido de arrefecimento a cada 24 meses, o que não era mencionado nos manuais dos anos anteriores. Também houve mudanças na especificação e concentração do líquido do radiador. O líquido de arrefecimento atual contém informações sobre a brasagem, processo de “solda” utilizado no trocador de calor, que pode gerar resíduos causadores de corrosão no componente. Portanto, a eletrólise no sistema de arrefecimento pode afetar o trocador de calor, levando a problemas no câmbio automático.

 A contaminação do fluido do câmbio pode causar diversos danos à transmissão, como:

  • Desgaste acelerado das peças internas: O fluido contaminado perde suas propriedades lubrificantes e protetoras, levando ao desgaste prematuro de componentes como engrenagens, solenoides e conversores de torque.
  • Aumento da temperatura: A contaminação impede a correta refrigeração do fluido, elevando sua temperatura e prejudicando o funcionamento da transmissão.
  • Trancos e ruídos: O fluido contaminado pode causar trancos durante as trocas de marcha e ruídos estranhos na transmissão.
  • Falha total da transmissão: Em casos extremos, a contaminação pode levar à falha completa da transmissão, exigindo reparos caros ou até mesmo a troca da peça.

falha no trocador de calor

Sintomas do problema

Alguns sintomas que podem indicar problemas com o trocador de calor do câmbio automático 1.8 do Renegade, Compass e Toro:

  • Mudanças bruscas nas marchas: Trancos durante as trocas de marcha podem indicar problemas com o fluido do câmbio.
  • Ruídos estranhos na transmissão: Ruídos de atrito ou zumbido podem ser um sinal de desgaste das peças internas da transmissão.
  • Luz de aviso da transmissão acesa: A luz de aviso da transmissão no painel pode acender indicando problemas na transmissão.
  • Nível baixo do fluido do câmbio: A contaminação pode levar ao vazamento do fluido do câmbio, diminuindo seu nível.
  • Presença de água no fluido do câmbio: Um mecânico pode verificar a presença de água no fluido do câmbio através de um teste específico.

Cuidados Essenciais:

  1. Manutenção Preventiva: Mesmo que não haja sintomas visíveis de problemas, é recomendado substituir o trocador de calor e o aditivo do sistema de arrefecimento a cada 60 mil km
  2. Verificação Regular: Fique atento a qualquer vazamento de fluido próximo ao trocador de calor. Se notar algo incomum, leve o veículo a uma oficina especializada para avaliação.
  3. Utilize o Aditivo Correto: Use o aditivo de arrefecimento recomendado pelo fabricante. Isso ajuda a prevenir a corrosão e a eletrólise.
  4. Evite Água de Torneira: Evite usar água da torneira no sistema de arrefecimento. Prefira água destilada ou desmineralizada.
  5. Substituição Adequada: Se for necessário substituir o trocador de calor, escolha uma peça de qualidade e siga as instruções do fabricante.

O trocador de calor é uma peça vital para o bom funcionamento do sistema de arrefecimento e da transmissão. Ao seguir esses cuidados, você garantirá a longevidade e o desempenho adequado do seu veículo. Lembre-se sempre de consultar um profissional qualificado para qualquer manutenção ou reparo.

Clique aqui para mais artigos

Compartilhe nas suas redes

Facebook Twitter Whatsapp