Temporal deixa seis mortos em São Paulo, segundo Defesa Civil

O estado tem na tarde deste sábado ao menos 2,5 milhões de imóveis sem energia elétrica após os temporais

Publicado por
17:13 - 04/11/2023

Compartilhar:

Facebook Twitter Whatsapp
Temporal deixa seis mortos em São Paulo, segundo Defesa Civil

Foto: Reprodução

O temporal que atingiu o estado de São Paulo nesta sexta-feira (3) deixou seis vítimas fatais, segundo a Defesa Civil. Segundo um balanço parcial, uma das mortes ocorreu no interior do estado, na região de Limeira, após o desabamento de um muro.

Em Osasco, um jovem de 21 anos morreu após um muro desabar na Avenida Luis Rink. A queda de uma árvore atingiu o veículo onde a vítima estava. O Corpo de Bombeiros foi acionado, mas ele não resistiu. Ainda de acordo com a Defesa Civil, outras quedas de árvores causaram uma morte em Suzano, e duas mortes na Zona Leste de São Paulo, onde duas pessoas faleceram dentro de um veículo.

As rajadas de vento chegaram a 151km/h na região de Santos, no litoral paulista. Ao todo, foram registradas 120 quedas de árvores na capital paulista e na região metropolitana. Toda a cidade de São Paulo foi colocada em estado de alerta para alagamentos após um temporal afetar a região por volta das 16h30 de sexta.

A situação foi alertada pelo Centro de Gerenciamento de Emergências Climáticas (CGE) da prefeitura, que já apontava para a possibilidade de pancadas de chuva em nível moderado no horário.

Segundo a agência, o alerta se deu pela aproximação de uma frente fria que organiza áreas de instabilidades com forte intensidade que seguem avançando do interior do estado.

O Corpo de Bombeiros informou que foram registrados 120 quedas de árvores, uma enchente e 12 desabamento na capital e região metropolitana. O estado de São Paulo tem na tarde deste sábado (04) ao menos 2,5 milhões de imóveis sem energia elétrica após os temporais que atingiram várias cidades.

A maior parte das residências sem luz, 84%, são na área de concessão da empresa Enel, onde 2,1 milhões de pessoas ainda não tiveram a energia restabelecida, de acordo com informações do governador Tarcísio de Freitas (Republicanos). A empresa italiana é responsável pelo fornecimento de energia na capital paulista e na Região Metropolitana, onde moradores reclamam que estão há mais de 20h sem luz. A previsão da companhia é a de que o serviço seja totalmente retomado somente nesta terça-feira (7).

De acordo com a Enel, na cidade de São Paulo, 1,4 milhão de clientes ficaram sem energia e já conseguiram restabelecer 400 mil.

“Estamos atuando sem medir esforço. A prioridade de reestabelecimento é recuperar, primeiramente, hospitais eletrodependentes. Estamos cuidando juntos também do evento importante que vai acontecer amanhã, que é o Enem. Estamos fazendo de tudo para que ele possa acontecer sem nenhum desserviço”, disse em coletiva de imprensa o diretor de operação da Enel, Vincenzo Ruotolo.

A segunda área com mais pessoas no escuro é da concessionária CPFL, onde ao menos 400 mil pessoas estão no escuro. A empresa atende 27 municípios do interior e litoral do estado, como Campinas, Bauru, Ribeirão Preto e São José do Rio Preto, por exemplo.

Fonte: O Sul

 

Leia também: Paraná tem 27 municípios em situação de emergência

A Defesa Civil do Paraná informou que pelo menos 27 municípios do estado se encontram em situação de emergência: Boa Esperança do Iguaçu, Capitão Leônidas Marques, Clevelândia, Contenda, Espigão Alto do Iguaçu, Faxinal, Guamiranga, Imbituva, Ipiranga, Manoel Ribas, Nova Esperança do Sudoeste, Nova Laranjeiras, Nova Prata do Iguaçu, Pato Branco, Pérola do Oeste, Pitanga, Ponta Grossa, Prudentópolis, Rio Branco do Sul, Salto do Lontra, Santa Izabel do Oeste, Santa Maria do Oeste, São João, Saudade do Iguaçu, Sulina, Verê e Virmond.

Compartilhe nas suas redes

Facebook Twitter Whatsapp