Móveis após a enchente: O que salvar e o que deve ser descartado

Voltar para casa e nos deparar com nossos móveis após a enchente pode ser uma cena devastadora, mas deve ser…

Publicado por
12:11 - 20/05/2024

Compartilhar:

Facebook Twitter Whatsapp
Móveis após a enchente O que salvar e o que descartar

Foto: Freepik

Voltar para casa e nos deparar com nossos móveis após a enchente pode ser uma cena devastadora, mas deve ser encarada com resiliência. A água pode danificar a madeira, apodrecer estofados e até mesmo contaminar superfícies. Saber o que pode ser salvo e o que deve ser descartado é crucial para garantir a segurança e a saúde de sua família, além de minimizar os custos de reparo.

Antes de iniciar qualquer avaliação, certifique-se de que a área está segura e livre de riscos elétricos. Use roupas e calçados de proteção adequados e evite entrar em contato com água contaminada. Tire fotos e vídeos detalhados dos móveis danificados, pois isso pode ser útil para fins de seguro ou e também para acompanhar o processo de restauração.

Separando os móveis após a enchente

  • Identifique o tipo de dano: Determine se o dano é superficial (manchas, deformações leves) ou estrutural (rachaduras, apodrecimento, instabilidade).
  • Superfícies: Móveis de madeira maciça com danos superficiais podem ser restaurados com lixamento, aplicação de novo acabamento e polimento. Madeira compensada ou MDF com danos extensos provavelmente não podem ser salvos.
  • Estrutura: Verifique se há rachaduras, empenamentos ou sinais de apodrecimento. Móveis com estrutura comprometida representam risco de queda e devem ser descartados.

Móveis estofados:

  • Estofamento: Se o estofamento estiver molhado, remova-o e lave-o com água e sabão neutro. Se estiver mofado ou com odor forte, descarte o móvel.
  • Estrutura: A estrutura de madeira precisa ser avaliada quanto à integridade, da mesma forma que os móveis de madeira maciça.
Móveis após a enchente O que salvar e o que descartar

Foto: Freepik

Itens contaminados:

  • Mofo e Bolor: Móveis que apresentam sinais de mofo devem ser descartados para evitar riscos à saúde.
  • Contaminação: Se a enchente foi causada por águas contaminadas, é crucial descartar qualquer móvel que não possa ser completamente desinfetado.
  • Colchões e estofados: Por serem porosos, absorvem água e contaminantes facilmente. Descarte-os mesmo que pareçam secos, pois podem conter mofo e bactérias.
  • Almofadas e travesseiros: Se forem de espuma, podem ser lavados com água e sabão neutro. Se forem de material natural, como penas ou lã, descarte-os.
  • Tapetes: Tapetes de lã ou materiais naturais podem ser lavados profissionalmente, mas se estiverem muito danificados ou com odor forte, descarte-os.

Dicas importantes:

  • Limpe e desinfete: Limpe todas as superfícies com água e sabão neutro, seguido de um desinfetante à base de cloro.
  • Consulte um profissional: Se você não tiver certeza sobre a segurança ou a possibilidade de restauração de um móvel, consulte um marceneiro ou restaurador de móveis.
  • Priorize a saúde: Sua saúde e a de sua família são a principal prioridade. Não tente salvar móveis que representem risco de contaminação ou doenças.

Avalie se o custo de recuperação é menor do que comprar um novo, mas os casos de móveis com valor sentimental podem valer o esforço de restauração. Lembre-se que a recuperação de uma enchente é um processo lento e trabalhoso. Seja paciente consigo mesmo e peça ajuda a amigos, familiares e profissionais quando necessário. Com cuidado e planejamento, você poderá reconstruir sua casa e restaurar seus móveis com segurança.

Clique aqui para mais artigos 

Compartilhe nas suas redes

Facebook Twitter Whatsapp