Nos pênaltis, Caxias vence o Ceilândia e vai às quartas da Série D

Fabian Volpi pegou um pênalti nas cobranças e o zagueiro Fernando marcou o gol decisivo

Publicado por
18:02 - 19/08/2023

Compartilhar:

Facebook Twitter Whatsapp
Nos pênaltis, Caxias vence o Ceilândia e vai às quartas da Série D

Fernando converteu a cobrança decisiva (Foto: Vitor Soccol/SER Caxias/Divulgação)

Foi no sufoco, mas o Caxias se classificou para as quartas de final da Série D. Após novo empate por 0 a 0 na tarde deste sábado (19), o grená venceu o Ceilândia por 7 a 6 na disputa por pênaltis e deu mais um passo rumo ao sonhado acesso para a Série C. Agora, o adversário do time de Gerson Gusmão será definido por meio do ranking geral, após as partidas de volta das oitavas de final que acontecem no domingo (20).

Nos 90 minutos, mais uma vez uma partida pouco inspirada de ambas as equipes. O técnico do Caxias até promoveu mudanças na equipe titular, como o retorno do volante Marlon ao time titular na vaga de Marcelinho. A troca trouxe mais poder defensivo, mas tirou a criatividade ofensiva do grená. No segundo tempo, após muitas substituições, tanto o grená como o gato preto perderam sua identidades e caminharam a passos largos para os pênaltis.

Na marca da cal, dentro da série de cinco cobranças para cada lado, o zagueiro Euler (Ceilândia) e o atacante Joãozinho (Caxias) perderam. Já nas alternadas, a estrela do goleiro Fabian Volpi brilhou. O camisa 1 defendeu a cobrança de Uesles e, na sequência, coube ao zagueiro Fernando colocar o grená na próxima fase. O time da Serra Gaúcha chega pela quinta vez em oito anos ao mata-mata que vale vaga na terceira divisão.

Primeiro tempo de poucas chances

A primeira tentativa foi dos donos da casa. Aos três minutos, após troca de passes, Romarinho arriscou de fora da área, mas mandou por cima. Um minuto depois, Peninha cobrou escanteio e Vitor Feijão tocou fraco de cabeça para fácil defesa de Matheus Silva. Após as investidas iniciais, o jogo acabou ficando mais calmo.

Diferente do primeiro jogo, em que deu a posse de bola para o grená, os primeiros 20 minutos de jogo foram de domínio do gato predo nas ações, mesmo que não tenha criado mais chances de perigo à meta de Fabian Volpi. Na medida que o tempo ia passando, a equipe do Caxias parecia mais confortável, porém, não conseguia oferecer riscos à defesa do Ceilândia. Pelo forte calor no Distrito Federal, aos 30 minutos o árbitro realizou uma parada técnica para hidratação.

Marlon voltou ao time titular (Foto: Vitor Soccol/SER Caxias/Divulgação)
David Peninha teve poucas chances no primeiro tempo (Foto: Vitor Soccol/SER Caxias/Divulgação)

A ideia do técnico Gerson Gusmão em tirar Marcelinho do time titular e colocar Marlon no meio-campo trouxe mais força defensiva para a equipe, o que impediu as ações ofensivas do Ceilândia. Aos 37, após nova cobrança de escanteio de Peninha, o capitão Ricardo Lima subiu sozinho, mas mandou a bola para fora. Apenas a segunda tentativa do time gaúcho em todo o primeiro tempo. Aos 46, após jogada pela direita, Augusto Galvan rolou para Eron. O camisa 9 dominou, ajeitou e arriscou, a bola foi para fora. Com um primeiro tempo pouco inspirado de ambas as equipes, a partida foi para o intervalo empatada em 0 a 0.

Segundo tempo com espaços e sem gols

Os primeiros cinco minutos do segundo tempo foram muito parecidos com a etapa inicial: Ceilândia com a bola e ambas as equipes sem criar chances de ataque. Na sequência, após uma falta de Uesles em Augusto Galvan, que rendeu cartão para o zagueiro do time candango, a partida começou a esquentar. Principalmente com a equipe da casa se lançando mais ao ataque, e gerando algumas jogadas de contra-ataque para o grená.

Aos 15 minutos, Paulinho recebeu cartão amarelo após mais uma forte chegada do Ceilândia, dessa vez em Vitor Feijão. Após isso, a partida voltou a cair para o mesmo ritmo monótono da primeira etapa, em que os donos da casa administravam a bola, e o Caxias aparentava estar confortável com o placar em 0 a 0. Aos 23, Adelson de Almeida fez a primeira troca do jogo. Tirou Gabriel Barbosa e colocou Iago. Aos aos 25, após jogada da direita, a bola sobrou para Pedro Bambu dentro da área. O capitão chutou de primeira e mandou para as redes, mas o bandeira assinalou impedimento.

Vendo a necessidade de remodelar a equipe, aos 27, Gerson colocou Emerson Martins e Peu nos lugares de Peninha e Jonathan. Aos 30, o lateral-esquerdo, que havia entrado a poucos minutos, cobrou escanteio fechado e quase marcou um gol olímpico. Três minutos depois, foi a vez de Danillo devolver na mesma moeda, mas Fabian Volpi afastou. Aos 36, mais três trocas no jogo. no gato preto entrou Bahia para a saída de Clemente. No grená, Marcão e Joãozinho ocuparam as vagas de Marlon e Vitor Feijão. As trocas no Caxias simbolizaram também a mudança de esquema, com Gerson Gusmão abandonando o 4-4-2 e indo para o 4-3-3 para os minutos finais de jogo e buscando evitar a disputa por pênaltis.

Aos 47, Pedro Cuiabá saiu para a entrada de Moacir no Caxias, assim como Elbinho entrou na vaga de Romarinho. Mesmo com as trocas e cinco minutos de acréscimos, as equipes não criaram chances para tirar o zero do placar e o jogo se arrastou para a decisão por pênaltis.

Caxias avança nos pênaltis

Com o placar em 0 a 0, assim como havia sido em Caxias do Sul no último final de semana, a partida foi para os pênaltis. Nas cobranças, o Caxias venceu por 7 a 6 e avançou para as quartas de final da Série D. O adversário do grená na próxima fase será decidido pelo ranking geral da competição após os jogos de volta no domingo (20).

Bateram pelo Ceilândia: Cleyton (gol), Iago (gol), Euler (na trave), Bahia (gol), Elbinho (gol), Danillo (gol), Lagoa (gol), Uesles (perdeu)

Bateram pelo Caxias: Eron (gol), Peu (gol), Marcão (gol), Moacir (gol), Joãozinho (perdeu), Emerson Martins (gol), Augusto Galvan (gol), Fernando (gol)

Ficha técnica

Ceilândia

Escalação: Matheus Silva; Paulinho, Euler, Uesles e Danillo; Lagoa, Pedro Bambu e Cleyton; Clemente (Bahia), Romarinho (Elbinho) e Gabriel Barcos (Iago).

Cartões Amarelos: Lagoa, Uesles, Adelson de Almeida (técnico), Paulinho, Euler

Caxias

Escalação: Fabian Volpi; Adriel, Ricardo Lima, Fernando e Jonathan (Peu); Marlon (Marcão), Pedro Cuiabá (Moacir), Galvan e David Peninha (Emerson Martins); Vitor Feijão (Joãozinho) e Eron

Compartilhe nas suas redes

Facebook Twitter Whatsapp