Solenidade em Bento Gonçalves marca o início da sinalização da Rota dos Capitéis – Caminhos da Imigração e Fé

A cerimônia foi encerrada com a inauguração de uma placa alusiva ao lado da Igreja Santo Antônio

Publicado por
13:35 - 05/07/2024

Compartilhar:

Facebook Twitter Whatsapp
Solenidade em Bento Gonçalves marca o início da sinalização da Rota dos Capitéis - Caminhos da Imigração e Fé

Foto: Patrick Alessi/Grupo RSCOM

Em solenidade realizada no Salão Paroquial da Igreja Santo Antônio, em Bento Gonçalves, no final da manhã desta sexta-feira (5), foi dado início à sinalização da Rota dos Capitéis – Caminhos da Imigração e Fé. O evento contou com a participação de representantes dos dez municípios que integram a rota, além de autoridades estaduais e representantes de entidades empresariais e instituições colaboradoras. A cerimônia foi encerrada com a inauguração de uma placa alusiva ao lado do Santuário.

A Rota dos Capitéis abrange dez municípios: Bento Gonçalves, Boa Vista do Sul, Carlos Barbosa, Coronel Pilar, Farroupilha, Garibaldi, Monte Belo do Sul, Pinto Bandeira, Santa Tereza (na Serra Gaúcha) e Imigrante (no Vale do Taquari). No total, foram mapeadas 468 construções religiosas, incluindo 252 capitéis, 175 capelas, 23 grutas, 16 igrejas e duas ermidas.

O projeto contempla 33 rotas circulares, que começam e terminam no mesmo ponto, percorrendo 866 quilômetros no total e abrangendo todo o território dos municípios participantes. Além disso, há uma rota regional de 330 quilômetros, que se inicia em Bento Gonçalves e passa pelas sedes de cada cidade envolvida. Todas as rotas foram desenvolvidas conforme as normas ABNT/ISO e preparadas para que possam ser percorridas a pé, de bicicleta ou de carro.

De caráter cultural, a Rota dos Capitéis visa valorizar e preservar as construções religiosas presentes na região há mais de um século. O projeto está alinhado com as comemorações dos 150 anos da imigração italiana no Rio Grande do Sul, previstas para 2025, reforçando a importância histórica e cultural dessas edificações.

O CIC-BG coordena o projeto desde 2020, na gestão de Rogério Capoani (2020-2021), seguindo pela de Marijane Paese (2022-2023) e de Carlos Lazzari (2024-2025). À época diretor do CIC-BG, Adriano Miolo é o idealizador da iniciativa.

A concepção da ‘Rota dos Capitéis – Caminhos da Imigração e da Fé’ está ancorada em três estudos que notabilizaram o costume dos imigrantes italianos que colonizaram os dez municípios envolvidos em homenagear sua fé e espiritualidade por meio da construção de templos. Dois deles são de autoria do jornalista Fabiano Mazzoti. O Livro do Capitel, com o mapeamento dos capitéis construídos no território da antiga Colônia Dona Isabel, hoje representada por Bento, Monte Belo do Sul, Pinto Bandeira e Santa Tereza, e Amém, Bento Gonçalves – Igrejas e capelas desta terra. O outro é “Perto das Estrelas”, um trabalho do Circulo Trentino di Garibaldi que traça a existência dos pequenos santuários na antiga Colônia Conde D’Eu – hoje Garibaldi –, além de Carlos Barbosa e outros municípios.

 

Foto: Patrick Alessi/Grupo RSCOM
Foto: Patrick Alessi/Grupo RSCOM
Foto: Patrick Alessi/Grupo RSCOM
Foto: Patrick Alessi/Grupo RSCOM

 

Compartilhe nas suas redes

Facebook Twitter Whatsapp