Setor de turismo aposta em rotas liberadas para atrair visitantes às regiões da Serra e da Uva e do Vinho

Empresários acreditam que o fator acesso é um dos bons condicionantes para a retomada dos negócios, no período pós enchentes

Publicado por
12:08 - 29/05/2024

Compartilhar:

Facebook Twitter Whatsapp

Empreendedores da área de turismo das regiões Serra e Uva e Vinho foi fortemente impactado pelas enchentes de maio. Agora, começa um período de retomada e muitas ações estão sendo discutidas para evitar o fechamento de negócios e de empregos.

Dados mais concretos sobre a questão devem ser contabilizados nos primeiros dias de junho. A informação é da secretária executiva do Sindicato das Empresas de Gastronomia e Hotelaria (SEGH Uva e Vinho), Marcia Ferronatto.

A empresária participou de encontro promovido pelo Conselho Municipal de Turismo de Bento Gonçalves (Comtur), realizado nesta quarta-feira (29). O presidente do grupo de trabalho, Marcos Giordani, demonstrou otimismo quanto ao movimento do feriado de Corpus Christi. Ele acredita que haverá 70% de ocupação na rede hoteleira e de serviços.

Também presente à reunião que teve a participação de integrantes do trade, o secretário municipal de Turismo, Evandro Mannes Soares, destacou o êxito da Ação Abrace Bento, que tem cerca de 130 empresas aderentes. Ali estão anunciadas promoções para atrair consumidores e locais e turistas.

O foco do trade turístico regional, conforme destacaram as lideranças do setor, deve ser a divulgação de que o acesso a Bento Gonçalves está liberado.

“Há como se deslocar de Porto Alegre, de Caxias , de Gramado e até de Passo Fundo para chegar aqui”, garantiu.

Mostrando mapas rodoviários, Giordani destacou ainda otimismo quanto aos investimentos que serão feitos em melhorias no Aeroporto Hugo Cantergiani, de Caxias do Sul. Outros dois pontos da infraestrurtura regional são prioritários além do aeroporto: as pontes de ligação entre Bento Gonçalves e Cotiporã, e entre Caxias do Sul e Nova Petrópolis. Há um levantamento apontando que as três obras não absorverão investimento acima de R$ 20 milhões.

Compartilhe nas suas redes

Facebook Twitter Whatsapp