Aumento alarmante de casos de dengue no Brasil gera preocupação e ações emergenciais

Em apenas dois meses, o país ultrapassa metade dos casos registrados em todo o ano de 2023

Publicado por
19:15 - 27/02/2024

Compartilhar:

Facebook Twitter Whatsapp
(Foto: Betânia Ramalho da Silva / Prefeitura de Caxias do Sul)

(Foto: Betânia Ramalho da Silva / Prefeitura de Caxias do Sul)

O Brasil enfrenta uma preocupante escalada no número de casos de dengue, com 920.427 casos prováveis da doença desde o início do ano, de acordo com dados do Painel de Monitoramento de Arboviroses do Ministério da Saúde. Essa cifra já representa mais da metade do total de diagnósticos contabilizados por Estados e municípios ao longo de 2023, quando foram registrados 1.658.816 casos.

O coeficiente de incidência da dengue no Brasil em 2023 foi de 777,6 casos para cada grupo de 100 mil habitantes. Atualmente, esse coeficiente está em 453,3 casos, mas autoridades sanitárias alertam que o pico da doença ainda não foi atingido.

Diante dessa situação crítica, seis Estados (AC, GO, MG, ES, RJ e SC) e o Distrito Federal já declararam emergência em saúde pública devido à dengue, conforme anunciou o Ministério da Saúde nesta terça-feira (27). O governo federal também divulgou planos de implementar um “Dia D” de mobilização nacional contra a dengue neste sábado (2), além de investir R$ 1,5 bilhão em recursos para apoiar estados e municípios no combate à doença.

A ministra da Saúde, Nísia Trindade, destacou a importância desse momento de atenção, ressaltando o monitoramento próximo das diferentes regiões, estados e municípios. A ação visa conter o avanço da dengue e mobilizar a população na eliminação de criadouros do mosquito Aedes aegypti, transmissor da doença.

Em relação aos números de casos, Minas Gerais lidera o ranking, com 311.333 casos, seguido por São Paulo (161.397), Distrito Federal (98.169), Paraná (94.361) e Rio de Janeiro (71.494). Os Estados que mais registraram casos em 2023, como Minas Gerais, São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Espírito Santo, continuam entre os mais afetados neste ano.

O Ministério da Saúde alerta que cerca de 75% dos criadouros do mosquito transmissor estão nos domicílios, em locais como vasos e pratos de plantas, garrafas retornáveis, pingadeiras, recipientes de degelo em geladeiras, bebedouros em geral e materiais em depósitos de construção. A eliminação desses criadouros é fundamental para interromper a proliferação do mosquito Aedes aegypti e, consequentemente, reduzir os casos de dengue no país.

DENGUE

Compartilhe nas suas redes

Facebook Twitter Whatsapp