Os hormônios

Texto escrito pela educadora física Abigail Somacal (Licenciatura em Educação Física / Bacharel em Educação Física / Pós graduanda em…

Publicado por
17:17 - 29/03/2021

Compartilhar:

Facebook Twitter Whatsapp

Texto escrito pela educadora física Abigail Somacal (Licenciatura em Educação Física / Bacharel em Educação Física / Pós graduanda em Fisiologia e Prescrição do Exercício Clínico / CREF 027828-G/RS)

Os hormônios são substâncias químicas específicas produzidas pelo nosso sistema endócrino, com muita importância para o funcionamento adequado do nosso organismo. A estimulação através do exercício físico provoca respostas hormonais com influência fisiológica e psicológica, isto é, quando realizamos um determinado exercício físico, com orientações de um profissional em relação à intensidade, tipo de exercícios e tempo de duração, nossos hormônios agem em conjunto, permitindo que encontremos a força física e mental necessária para a execução.

Como sabemos, realizar uma atividade física com constância nos traz inúmeros benefícios, também ajudando em casos de depressão e ansiedade, diminuindo o estresse e a tensão corporal. Além disso, ele ajuda a fortalecer os músculos e a resistência muscular, regula o intestino, diminui o colesterol, ajuda a diminuir dores crônicas, ajuda na perda de gordura localizada, melhora a autoestima, a flexibilidade, a elasticidade, a postura, ajuda a controlar a pressão sanguínea e diminui o risco de doenças crônicas, como o diabetes e a hipertensão arterial.

Abaixo listamos os mais importantes hormônios relacionados diretamente com a prática de exercícios e seus benefícios.

Hormônio do crescimento (GH)

O hormônio do crescimento, ou GH (Growth Hormone), é produzido pela hipófise, uma pequena glândula que fica na parte inferior do cérebro. Este hormônio age no organismo como um todo, promovendo não só o crescimento longitudinal, mas o das células em geral. Em adultos com tamanho ideal, que apresentam sintomas como aumento da gordura corporal, perda de massa magra, aumento do colesterol ou quaisquer das patologias da síndrome metabólica, podem estar expostos a deficiência do GH.

Adrenalina

A adrenalina é liberada por células da medula adrenal na circulação sanguínea e, assim, chega aos diferentes órgãos e realiza suas funções simpaticomiméticas, responsável por preparar o organismo para a realização de grandes feitos. Essas ações simulam-se a ação do sistema nervoso autônomo simpático, que pode ser estimulado diretamente por fibras simpáticas que liberam noradrenalina.

Endorfina

A endorfina é uma substância natural também produzida pela glândula hipófise. A principal característica da endorfina é a potente ação analgésica que resulta em bem-estar, alegria e conforto. Tal sensação geralmente acontece depois da prática de exercícios físicos.

Noradrenalina

É um hormônio e também um neurotransmissor do sistema nervoso simpático. Ela é produzida na medula da glândula suprarrenal, atua promovendo uma maior taxa de fornecimento de oxigênio para as células, através da dilação do bronquíolos e aumento dos batimentos cardíacos. A noradrenalina possui também a capacidade de elevar a pressão sanguínea por meio da vasoconstrição periférica generalizada.

Serotonina

A serotonina é um neurotransmissor produzido a partir de um aminoácido, o triptofano, atua no cérebro e estabelece a comunicação entre os neurônios, essa substância regula o sono, o humor, o apetite, o ritmo cardíaco, a temperatura corporal, entre outras funções biológicas e cognitivas.

Catecolaminas

As catecolaminas são um grupo de hormônios semelhantes, produzidos na medula adrenal, na porção interna das glândulas adrenais. As principais catecolaminas são dopamina, epinefrina (adrenalina) e norepinefrina. São esses neurotransmissores que atuam no controle da função cardíaca, da força de contração cardíaca, na resistência dos vasos sanguíneos e nos bronquíolos, na liberação de insulina e na degradação de gordura.

Com toda essa liberação hormonal durante as práticas, percebemos que as funções e benefícios do exercício físico estão muito além das alterações corporais e estéticas, não é mesmo?

Compartilhe nas suas redes

Facebook Twitter Whatsapp