Benefícios e dicas sobre treinar em casa durante a Covid-19

Com a aplicação do Distanciamento Social e, consequente, encerramento das atividades em academias e espaços similares destinados a prática de…

Publicado por
09:45 - 06/04/2021

Compartilhar:

Facebook Twitter Whatsapp

Com a aplicação do Distanciamento Social e, consequente, encerramento das atividades em academias e espaços similares destinados a prática de exercícios físicos, houve o crescimento da busca pelo termo “treinamento em casa” no Google Trends em todo o mundo (OLIVEIRA, et al 2020). Isso significa que a população deseja buscar alternativas para continuar a praticar exercícios físicos mesmo estando isoladas em suas casas.

As diretrizes internacionais recomendam que adultos saudáveis devem se exercitar, pelo menos, 150 minutos por semana em atividades moderadas-vigorosas ou 75 minutos por semana em atividades vigorosas e intensas (WARBURTON; BREDIN, 2017).

Essas diretrizes de exercícios físicos foram criadas baseadas na possibilidade de se exercitar ao ar-livre, nas academias e clubes, nas atividades diárias, passeios etc. No entanto, com a Pandemia da COVID-19 e a adoção do Distanciamento Social e até mesmo o “lockdown”, que significa a proibição de circulação de pessoal e de todas as atividades não essenciais, atingir estes níveis mínimos de exercício físico diário ficou mais difícil.

Alguns estudos dos efeitos da redução dos níveis de atividade física concluíram que após apenas três semanas de redução de atividade física e do gasto calórico diário, houveram aumentos de triglicerídeos, gordura intra-abdominal, insulina plasmática e ainda redução de massa magra. A própria interrupção do treinamento pode ocasionar a perda das adaptações obtidas em relação a funcionalidade, adaptações cardiovasculares e na composição corporal com apenas duas semanas de interrupção do treinamento. Dessa forma, o sedentarismo aumenta o risco de mortalidade e de doenças que são impactadas pela inatividade física, afetando negativamente o sistema nervoso, a aptidão cardiorrespiratória, o metabolismo, o tecido adiposo, músculo esquelético, sistema ósseo, imunidade, digestão e aumentando a incidência de câncer.

A opção pelo treinamento em casa é a recomendação das principais entidades de saúde, inclusive recomendando o uso da tecnologia para reduzir as dificuldades e limitações da presença física do treinador, sendo que este pode estar acompanhando os exercícios de maneira online através de videochamadas e outros meios.

É importante saber que, se formos iniciar a prática de atividades físicas durante a pandemia do zero, sendo uma pessoa sedentária que não praticava exercícios anteriormente, deve-se começar com cautela, aos poucos, realizando treinos curtos de 30 a 40 minutos por semana e de forma progressiva, a cada semana aumentando a duração da prática e em seguida a quantidade de vezes por semana, para também ser uma experiência positiva e prazerosa, oportunizando que nosso corpo se adapte a este estilo. Também é crucial realizar uma avaliação com um profissional antes de começar a treinar.

Algumas dicas para a prática dos exercícios em casa:

  • Escolha um lugar tranquilo e que permita fazer os movimentos com total tranquilidade, como um quarto ou a sala;
  • Respeite os horários dedicados à prática das atividades físicas, faça uma rotina;
  • Evite a procrastinação;
  • Organize os materiais necessários, como colchonetes e garrafinhas de água;
  • Conte com a ajuda de um personal trainer online pra saber quais são os melhores treinos para o seu objetivo físico, seja através de consultoria ou acompanhamento online;
  • Respeite o limite do seu corpo, assim como a frequência e o tempo dos exercícios;

Benefícios de treinar em casa durante a Pandemia da COVID-19:

Você pode economizar dinheiro, decidir a própria rotina de treino, não depender de horários, manter o conforto e como um melhor incentivo: A prática de exercícios pode ser um fator importante para evitar as consequências mais graves do coronavírus e de outros problemas e infecções respiratórias. Afinal, ela melhora sua reserva cardiorrespiratória. Seu pulmão, seu coração e todo o organismo terá mais capacidade de oxigenar o sangue de forma sustentada. Além disso, a musculatura respiratória fica fortalecida. Bem como, o exercício físico é um aliado da saúde mental, pois ele reduz os níveis de estresse, libera hormônios de prazer e relaxamento e aumenta a sensação de bem-estar.

A literatura científica suporta que é possível realizar exercícios físicos sem sair de casa com poucos ou nenhum recurso material específico para a prática e este exercício pode ser tão eficiente quanto o treinamento tradicional, apenas deve ser adaptado as particularidades e limitações de seus praticantes. Treinos casa são seguros e eficientes para todos os tipos de públicos desde que sejam prescritos de forma individualizada e por profissionais qualificados.

Texto escrito pela educadora física Abigail Somacal

(Licenciatura em Educação Física / Bacharel em Educação Física / Pós graduanda em Fisiologia e Prescrição do Exercício Clínico / CREF 027828-G/RS)

Compartilhe nas suas redes

Facebook Twitter Whatsapp