Vinte dos 31 deputados gaúchos votam pela prisão de parlamentar acusado de mandar matar Marielle Franco

Representantes de Caxias do Sul, Denise Pessôa (PT) posicionou-se a favor da detenção, enquanto Mauricio Marcon (Podemos) foi contra. Confira como votaram todos os representantes do Estado

Publicado por
18:57 - 12/04/2024

Compartilhar:

Facebook Twitter Whatsapp
Vinte dos 31 deputados gaúchos votam pela prisão de parlamentar acusado de mandar matar Marielle Franco

Foto: Zeca Ribeiro/Câmara dos Deputados

Vinte, dos 31 deputados federais gaúchos, votaram na quarta-feira (10) para que o deputado federal Chiquinho Brazão (sem partido-RJ), acusado de ser um dos mandantes do assassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL-RJ) em 2018, continue preso preventivamente.

Ao todo, 277 parlamentares seguiram a recomendação do parecer da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara, que recomenda a manutenção da detenção por crime flagrante e inafiançável de obstrução de Justiça com o envolvimento de organização criminosa. Houve 129 votos contra e 28 abstenções.

Representantes de Caxias do Sul, Denise Pessôa (PT) e Mauricio Marcon (Podemos) se posicionaram em lados opostos. A petista votou sim, junto com outros 19 parlamentares gaúchos, enquanto o deputado da oposição votou não, assim como Bibo Nunes (PL), Giovani Cherini (PL), Marcel van Hattem (Novo), Marcelo Moraes (PL), Osmar Terra (MDB), Pedro Westphalen (PP), Sanderson (PL) e Zucco (PL).

Covatti Filho (PP) e Luiz Carlos Busato (União Brasil) se abstiveram. Veja a lista completa ao fim da matéria.

Brazão foi preso no dia 24 de março pela Polícia Federal após decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, referendada pela 1ª Turma da Corte.

Era necessária a aprovação da maioria absoluta dos deputados — 257 votos — para o acusado seguir preso. A Constituição Federal determina que as prisões preventivas de parlamentares devem ser analisadas pelo plenário da Casa do congressista, neste caso, a Câmara.

O conselheiro do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro, e irmão do deputado, Domingos Brazão, e o delegado da Polícia Civil do Rio de Janeiro Rivaldo Barbosa, também foram presos. Os três são investigados por envolvimento no homicídio de Marielle e do motorista Anderson Gomes.

Veja como votaram os deputados gaúchos

A favor de manter a prisão – 20 votos

Afonso Hamm (PP-RS)

Afonso Motta (PDT-RS)

Alceu Moreira (MDB-RS)

Any Ortiz (Cidadania-RS)

Bohn Gass (PT-RS)

Daiana Santos (PCdoB-RS)

Daniel Trzeciak (PSDB-RS)

Denise Pessôa (PT-RS)

Fernanda Melchionna (PSOL-RS)

Franciane Bayer (Republicanos-RS)

Heitor Schuch (PSB-RS)

Lindenmeyer (PT-RS)

Lucas Redecker (PSDB-RS)

Luciano Azevedo (PSD-RS)

Márcio Biolchi (MDB-RS)

Marcon (PT-RS)

Maria do Rosário (PT-RS)

Pompeo de Mattos (PDT-RS)

Reginete Bispo (PT-RS)

Ronaldo Nogueira (Republicanos-RS)

 

Contra a manutenção da prisão – 9 votos

Bibo Nunes (PL-RS)

Giovani Cherini (PL-RS)

Marcel van Hattem (Novo-RS)

Marcelo Moraes (PL-RS)

Mauricio Marcon (Podemos-RS)

Osmar Terra (MDB-RS)

Pedro Westphalen (PP-RS)

Sanderson (PL-RS)

Zucco (PL-RS)

 

Não votaram

Covatti Filho (PP-RS)

Luiz Carlos Busato (União Brasil-RS)

Compartilhe nas suas redes

Facebook Twitter Whatsapp