Renato volta a falar sobre Adriel: “Quero fazer dele um grande jogador”, mas reafirma: “O Grêmio tem comando”

Treinador ressaltou ainda aconselhar o jogador, mas que para recuperar a vaga, terá de esperar

Publicado por
13:43 - 25/04/2023

Compartilhar:

Facebook Twitter Whatsapp
RENATO GRÊMIO

Foto: Reprodução

Na manhã desta terça-feira (25), o técnico Renato Portaluppi do Grêmio concedeu uma entrevista coletiva para tratar quase que especificamente dos atos de indisciplina cometidos pelo goleiro Adriel. Ao longo da conversa com os jornalistas, ele seguiu tendo respostas firmes em relação as atitudes do atleta.

Tendo em vista as entrevistas anteriores sobre o caso, onde Renato falou muito sobre os “três ou quatro empresários” que cuidam da carreira do atleta de 22 anos, o treinador voltou a ressaltar que não tem contato com os empresários dos jogadores, e que a bronca era por conta dos rumos que ele (Adriel) estava dando para sua carreira, cometendo recorrentes atos de indisciplina, sendo seguidamente multado por eles também.

“Eu não quero saber com quem o Adriel conversa, ou (por quem) ele é representado ali fora. Essa pessoa (Pablo Bueno) que eu nem conheço, pode ser o representante dele, não vai fazer diferença nenhuma pra mim. O que eu quero, o que o clube quer, é que o jogador cumpra com suas obrigações, quando ele não cumprir, ele vai ser multado”.

“Eu quero fazer dele um grande jogador, ele tem potencial. Eu falei pra ele, ‘olha onde você tá, olha o tamanho desse clube’”. Renato ainda revelou um pedido de transferência do goleiro ocorrido no início do ano, porém ele foi convencido a ficar no Grêmio, onde posteriormente chegou a titularidade.

Sendo enfático em todas as suas falas sobre os problemas do goleiro, o treinador afirmou que segue aconselhando e tendo boa relação com o jogador. Sobre a possibilidade de Adriel em retornar a titularidade, Renato respondeu que tudo vai depender do trabalho desenvolvido no dia a dia.

Portaluppi revelou que Adriel reconheceu seu erro ainda em Belo Horizonte, e que gostaria que ele estivesse presente na coletiva, mas por opção do atleta, ele ainda não quis se manifestar.

Segundo Renato, os atos de indisciplina vem ocorrendo desde os últimos dois meses, estes que teriam sido quatro: chegar atrasado em treinamentos, não ficar para o jantar junto com o grupo após atividades, falar ao celular na mesa (proibido conforme as regras impostas do Grêmio) e a última, que foi o estopim para o caso vir à tona, uma entrevista sem consentimento da direção e nem da comissão técnica, onde inclusive revelou questões de posicionamento em bolas aéreas defensivas.

“Nos últimos dois meses ele vinha cometendo os atos de indisciplina, eu vinha chamando atenção dele, vinha multando ele. São as coisas que vocês não sabem, a gente não fala, protege. Essa entrevista foi a gota d’água. Ele passou por cima do presidente do clube pra dar aquela entrevista, ele sabe que não pode então quem cuida dos interesse ali fora sabe que não pode dar aquele tipo de entrevista”, pontuou.

O comandante Tricolor ressaltou que essa foi a última vez que o caso do goleiro foi tratado por ele publicamente. No duelo de quinta-feira (27), contra o ABC na Arena pela Copa do Brasil, ele já afirmou anteriormente que o goleiro titular seguirá sendo Gabriel Grando.

Compartilhe nas suas redes

Facebook Twitter Whatsapp