Prefeitura de Bento Gonçalves libera plantação de parreiras às margens da ERS-444 prejudicando a futura ciclovia

A relação entre o poder público municipal e a população gera cenas, no mínimo, peculiares em Bento Gonçalves. A região…

Publicado por
10:06 - 19/10/2022

Compartilhar:

Facebook Twitter Whatsapp
ciclovia

A relação entre o poder público municipal e a população gera cenas, no mínimo, peculiares em Bento Gonçalves. A região do Vale dos Vinhedos, por exemplo, no último ano teve sua rodovia municipalizada e, mais recentemente, uma licitação para construção de uma ciclovia. Acontece que um morador da região, onde a obra deve passar, plantou parreiras às margens da ERS-444, ignorando o recuo necessário.

Estas parreiras plantadas  a poucos metros da rodovia, sem respeitar a exigência de 25 metros de recuo do eixo da via , deixam apenas parte mínima de acostamento aos motoristas que passam pela ERS. Entretanto, apesar de existir um projeto de licitação em andamento para construir a ciclovia, a secretaria de agricultura e IPURB  liberaram e auxiliaram com dinheiro público esta plantação.

Na primeira tentativa de licitação da ciclovia,  nenhuma companhia se apresentou para o orçamento, mas o projeto segue em pauta. A prefeitura, através da assessoria de imprensa informou que “o IPURB está atualizando planilhas para encaminhar para nova licitação. Ainda não tem nova previsão de data“.

A assessoria da prefeitura de Bento Gonçalves foi perguntada sobre a fiscalização de construções e plantios às margens da ERS-444. Em resposta, afirmou que “Conforme o IPURB o projeto observa todas as condicionantes locais e trabalha dentro das áreas livres“. O secretário de agricultura, Volnei Cristofoli, informou à reportagem, a plantação já está lá há tempos e foi feita apenas a troca da variedade de uva no local. Ainda conforme o secretário, caso necessário, em virtude da ciclovia, a plantação poderá ser modificada.

Ante a situação, cria-se o questionamento sobre como a prefeitura auxilia na manutenção de uma plantação que, com a possível obra da ciclovia no Vale dos Vinhedos, deverá ser modificada? Ação esta gera um gasto do dinheiro dos cofres públicos com maquinário para plantar e, posteriormente, com a obra exigir uma modificação.

Além de uma audiência publica realizada em setembro pela Câmara de Vereadores expor a necessidade de cuidados com as obras e mudanças no Vale, as mudanças na região também deveriam ser melhor avaliadas e coordenadas, como até o Ministério Público tem trabalhado para auxiliar.

O projeto da ciclovia

Iniciando na ponte sobre o Arroio Pedrinho na ERS-444 e seguindo até a Igreja do 8 da Graciema, a ciclovia terá uma largura de 2,5 metros e estará separada da pista de rolamento. A divisão entre as duas faixas terá 50 centímetros de largura e será por vegetação posta entre dois pontos de meio fio de concreto pré moldado de cada lado.

O trajeto de 3.500 metros contará com sinalização vertical conforme resolução 180/06 do CONTRAN. A sinalização será através de placas octogonais e retangulares, indicando paradas obrigatórias, atenção ciclista e início e fim da ciclovia. No chão serão feitas marcações para dividir os sentidos opostos, linha de bordo e outras pinturas especiais.

Compartilhe nas suas redes

Facebook Twitter Whatsapp