Porteira do Rio Grande e terra do rodeio; Vacaria comemora 170 anos

A História, o presente e o futuro.

Publicado por
11:09 - 22/10/2020

Compartilhar:

Facebook Twitter Whatsapp

Os cerca de 60 mil habitantes da maior cidade dos Campos de Cima da Serra tem motivos de sobra para comemorar nesta quinta-feira (22). Vacaria, a Porteira do Rio Grande do Sul e terra dos rodeios comemora 170 anos. Vacaria, em castelhano, era o nome dado às grandes extensões de campos naturais, onde os missionários jesuítas dos Sete Povos das Missões deixavam os seus rebanhos para se criarem soltos.

Na primeira divisão administrativa do Estado do Rio Grande do Sul, o município já se fazia presente, integrado a Santo Antônio da Patrulha, com o nome de Freguesia de Nossa Senhora da Oliveira da Vacaria. Em 1850, a vila foi elevada à categoria de cidade.

O município serviu de passagem para os tropeiros, os quais proporcionaram a vinda dos primeiros povoadores do Sertão de Vacaria. A fundação da cidade está ligada à sua chegada, em busca de gado e terra e, também, ao achado de uma imagem de Nossa Senhora, marcado por grande mistério.

O empresário Sério de Rossi, mudou-se para Vacaria com três anos de idade, em 1969. Ele é natural de Antônio Prado e diz que se sente adotado por Vacaria e que tem um grande orgulho de fazer parte da cidade. Desde 2010 ele é proprietário da Fazenda Passo do Socorro, que é tombada pelo Patrimônio Histórico do Rio Grande do Sul.

Em 2020, ela completou 250 anos de existência, após ser doada aos primeiros habitantes da cidade pelo governo brasileiro e ser passada de geração em geração. De Rossi comentou sobre o sentimento de estar à frente da fazenda que carrega tanta história.

“É um orgulho ter que levar adiante esse nome tão forte que tem a Fazenda do Socorro, preservar e manter a sua originalidade, abrir ela ao público, aos estudantes e aos turistas, além de fazer parte dessa história de Vacaria, entre outros grandes atrativos que a cidade tem”, disse.

A história de ocupação do espaço dos campos de cima da serra onde se formou, mais tarde, a cidade de Vacaria iniciou-se no fim do século XVII, com o processo de demarcação e criação da Baqueria de Los Pinares pelos Jesuítas e Guaranis das Missões da Banda Ocidental, bem como da Oriental, do Rio Uruguai.

As vacarias eram repositórios de gado que estavam localizadas em regiões distantes dos núcleos urbanos. De certa forma, constituíam uma fronteira aberta do espaço missioneiro. Os limites eram imprecisos e o gado reproduzia-se sem a intervenção do trabalho humano.

Quem também fala com carinho da cidade, é o Delegado da Polícia Civil, Carlos Alberto Defaveri. Ele parabenizou a cidade e a todos que construíram o município e agradeceu a acolhida que a sua família teve quando se mudou. Ele também comentou o seu momento de maior orgulho junto ao local.

“Sem dúvidas foi quando eu recebi o título conferido pela Câmara de Vereadores, que foi o de cidadão Vacariense, que é, na sua plenitude, o elo do cidadão com a cidade que ele escolheu”, disse.

A cidade também é reconhecida pelo Rodeio de Vacaria, que teve a sua primeira edição em 06 de abril de 1958 com Rodeio Crioulo do CTG Porteira do Rio Grande, sob o comando do patrão Getúlio Marcantônio. O evento ocorreu em uma área pertencente à Associação Rural de Vacaria.

O primeiro rodeio teve âmbito intermunicipal, com a participação de Bom Jesus (CTG Presilha do Rio Grande), Lagoa Vermelha (CTG Alexandre Pato) e Vacaria (CTG Porteira do Rio Grande). Houve provas de laço, pealo, rédeas e doma, além de apresentações folclóricas. O CTG Alexandre Pato foi o campeão de laço. O fandango, à noite, teve a animação do sanfoneiro Chiquinho Guazzelli.

Os três primeiros rodeios foram anuais e a partir da quarta edição tornou-se bianual.

Atualmente, o Rodeio Crioulo Internacional de Vacaria é considerado a maior festa tradicionalista gaúcha, onde peões e prendas de todo o Brasil e exterior, se reúnem para cultivar as tradições do nosso Estado. O evento acontece no Parque Nicanor Kramer da Luz, com disputa de provas artísticas e campeiras, além de diversos shows e bailes.

O comunicador do Grupo RSCOM, Sinval Paim, deixou uma mensagem para todos os moradores do Rio Grande do Sul, onde fala sobre seu carinho pela cidade.

Compartilhe nas suas redes

Facebook Twitter Whatsapp