Polícia Civil deflagra operação contra facções de Porto Alegre e Região Metropolitana

A 3ª Delegacia do Departamento Estadual de Investigações do Narcotráfico (Din/Denarc), com apoio da 2ª Delegacia, deflagrou Operação “Ultima Castellum”,…

Publicado por
10:41 - 01/02/2022

Compartilhar:

Facebook Twitter Whatsapp

Foto: PC / Divulgação

A 3ª Delegacia do Departamento Estadual de Investigações do Narcotráfico (Din/Denarc), com apoio da 2ª Delegacia, deflagrou Operação “Ultima Castellum”, na manhã desta terça-feira. Foram cumpridas 27 ordens judiciais, 17 mandados de prisão preventiva e dez ordens de busca e apreensão nos municípios de Alvorada, São Leopoldo e Porto Alegre. As investigações tiveram como alvo facções criminosas envolvidas com o narcotráfico.

Um grupo com origem no bairro Bom Jesus, na Capital, estava disputando pontos de venda de drogas com facções rivais, com forte atuação na Vila Jardim, Vila Nazaré, Restinga e, também, em bairros das duas outras cidades. Foi identificada na organização de ataques a bandos rivais, no bairro Restinga, em Porto Alegre, inúmeras transações envolvendo drogas e armas e transferências financeiras. As diligências investigativas descobriram um complexo esquema de depósitos bancários e via PIX para visitantes de apenados, que permitia a aquisição de drogas, armas e até a manutenção das despesas das lideranças do tráfico que estão recolhidas no sistema carcerário gaúcho.

Segundo o delegado Alencar Carraro, havia uma importante participação de mulheres nas transferências bancárias, transmissão de ordens para traficantes e associados que estão em liberdade e, ainda, aquisições de drogas, armas e munições. “Possivelmente, as lideranças dessas facções criminosas acreditavam que as mulheres poderiam passar desapercebidas dos policiais e também aproveitando as brechas legais das que possuem filhos, o que dificulta a manutenção no cárcere por longos períodos”, informou o titular da 3ª Din/Denarc.

Envolvimento em crimes de grande repercussão

Diversos membros de facções envolvidas nas investigações estão envolvidos em crimes graves, alguns que geraram grande repercussão. Um exemplo ocorreu em 2016, quando quatro jovens foram torturados, decapitados e tiveram suas cabeças deixadas dentro de um veículo no município de Alvorada. Uma das lideranças de grupos criminosos na região, considerada extremamente perigosa, possui uma dezena de antecedentes policiais e é apontada como mandante de vários homicídios, como foi o caso dos jovens brutalmente assassinados.

*Informações do Correio do Povo

Compartilhe nas suas redes

Facebook Twitter Whatsapp