Pela primeira vez, Escola Helen Keller terá uma pessoa surda na coordenação

A Escola Municipal Helen Keller, voltada para a comunidade surda de Caxias do Sul, inicia o ano letivo com uma…

Publicado por
15:19 - 20/02/2019

Compartilhar:

Facebook Twitter Whatsapp

Natacha Soares Perazzolo (de jaqueta jeans), também estará à frente das decisões pedagógicas da instituição. Foto: Divulgação

Natacha Soares Perazzolo (de jaqueta jeans), também estará à frente das decisões pedagógicas da instituição. Foto: Divulgação

A Escola Municipal Helen Keller, voltada para a comunidade surda de Caxias do Sul, inicia o ano letivo com uma nova coordenação administrativa e pedagógica. A Secretaria Municipal da Educação (Smed) designou a instrutora de Libras da instituição, Natacha Soares Perazzolo, que também é surda, para o cargo. A docente é graduada em Pedagogia e Letras em Libras, e pós-graduada em Educação Especial e Libras.

Natacha trabalha há 20 anos como instrutora de Libras e atuou como coordenadora pedagógica na gestão de 2004 da Helen Keller, que atende cerca de 50 estudantes. “Quando uma escola da rede tem menos de 100 alunos, não há eleição de diretores e a coordenação da instituição é escolhida pela própria pasta.

Nosso intuito também era encontrar uma pessoa que facilitasse o intercâmbio com outras escolas, levando a cultura surda para outros estudantes do Município. Estamos muito gratos pelo fato de a Natacha ter aceito esse convite e esse desafio. Acreditamos que haverá um olhar muito próximo da realidade dos estudantes que frequentam a Helen Keller”, explica Marina Matiello, secretária da Educação.

Conforme Marina, a Smed está à disposição da nova coordenadora para seguir na construção de uma educação de qualidade. “Poderemos pensar juntos em projetos, com o olhar de alguém que não apenas tem experiência na educação de surdos, mas que também tem uma experiência de vida nessa área”, complementa.

Para Natacha Perazzolo, a expectativa para esse ano letivo é de possibilitar a educação da língua de sinais a fim de promover a aprendizagem do estudante surdo. “Atualmente, a educação deferida para os estudantes da Helen Keller é bilíngue, na qual Libras aparece como a primeira língua e o português como segunda. Procuro sempre incentivar a valorização de Língua de Sinais pois, como surda, me preocupo com a educação desse público”, reforça.

Compartilhe nas suas redes

Facebook Twitter Whatsapp