Mulher afirma à polícia que tio chegou vivo ao banco antes de pedir crédito de R$ 17 mil

Caso aconteceu em uma agência bancária em Bangu, na zona oeste do Rio de Janeiro, quando mulher levou o idoso, que estava morto, para tentar sacar um empréstimo de R$ 17 mil

Publicado por
11:46 - 17/04/2024

Compartilhar:

Facebook Twitter Whatsapp
Mulher afirma à polícia que tio chegou vivo ao banco antes de pedir crédito de R$ 17 mil

Foto: Reprodução

Erika de Souza Vieira Nunes, presa em flagrante por tentativa de furto mediante fraude e vilipêndio de cadáver, afirmou em depoimento a polícia que Paulo Roberto Braga, de 68 anos, chegou vivo à agência bancária antes de pedir crédito e conversar com o corpo. As informações são do site R7.

Na ocasião, Erika levou o idoso, já morto, para tentar sacar um empréstimo de R$ 17 mil em uma agência bancária em Bangu, na zona oeste do Rio de Janeiro, na última terça-feira (16). Ainda segundo o depoimento, a mulher, que se diz sobrinha e cuidadora do idoso, relatou que ele ficou internado em uma UPA (Unidade de Pronto Atendimento), na zona oeste do Rio, com pneumonia.

Ao ter alta, ele teria dito que fez um empréstimo bancário de R$ 17 mil para fazer reparos na casa em que ele morava. Conforme as informações ditas pela suposta sobrinha do idoso, por conta do estado de saúde do tio, ela teria se oferecido para ir à agência com ele para realizar o empréstimo.

Ela afirma que, ao longo do atendimento, o idoso passou a não apresentar sinais e não falava. O caso foi registrado na 34ª DP (Bangu), e os agentes apuram quando a vítima morreu e o motivo.

Fonte: Correio do Povo

Compartilhe nas suas redes

Facebook Twitter Whatsapp