Mario Guilherme Sebben, fundador da primeira empresa de processamento de dados de Caxias do Sul, compartilha sua trajetória na CIC

A CIC promove a série uma vez ao mês, no espaço da reunião-almoço (RA), dando destaque aos empresários que possuem histórias de superação e contribuem com a comunidade caxiense

Publicado por
20:44 - 10/06/2024

Compartilhar:

Facebook Twitter Whatsapp
Mario Guilherme Sebben, fundador da primeira empresa de processamento de dados de Caxias do Sul, compartilha sua trajetória na CIC

(Foto: Júlio Soares/Objetiva)

Na Reunião-Almoço (RA) promovida pela Câmara de Indústria, Comércio e Serviços de Caxias do Sul (CIC Caxias) nesta segunda-feira (10), a série “Histórias Inspiradoras” destacou a fascinante trajetória de Mario Guilherme Sebben, presidente do Grupo Datasys. Sebben, primogênito de sete irmãos, nasceu em uma família de imigrantes italianos que chegaram ao Brasil após a Segunda Guerra Mundial. Com uma carreira marcada pela inovação e resiliência, ele compartilhou sua jornada desde os primeiros passos até a liderança de uma holding que incorpora diferentes negócios nas áreas de tecnologia e sustentabilidade ambiental. A CIC promove a série uma vez ao mês, no espaço da reunião-almoço (RA), dando destaque aos empresários que possuem histórias de superação e contribuem com a comunidade caxiense.

Sebben sempre estudou em escolas públicas e se formou em Engenharia Elétrica na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Em 1969, fez um curso de Operação de Computadores na Montedata S.A., empresa onde começou a trabalhar em 1970, iniciando sua carreira profissional na área de informática. Em 1972, impulsionado pela ideia de montar um bureau de processamento eletrônico de dados, seu pai hipotecou a casa para conseguir os recursos necessários. Logo após, fecharam a compra de um computador com a IBM, e Sebben, junto com seu irmão Mauro Sebben e os sócios Aldo Martinatto e Ivo Fonini, fundou a Datasys Processadora de Dados Ltda.

Expansão e desafios

O primeiro computador, um IBM/3, chegou a Caxias do Sul ainda em 1972, iniciando oficialmente as operações da Datasys. A partir de 1975, a empresa começou a expandir suas atividades, abrindo filiais pelo Rio Grande do Sul e, nas décadas de 1980 e 1990, expandiu para Santa Catarina, Rio de Janeiro e até mesmo para os Estados Unidos, graças aos negócios com empresas americanas e à mudança do irmão Mauro Sebben para o exterior. “Perdi uma grande referência, nós nos dávamos muito bem e ele tinha a gestão na pele”, comentou Mario Sebben.

A demanda pelos serviços da Datasys cresceu exponencialmente, com a empresa dobrando sua capacidade de processamento e tamanho a cada dois anos. “Era um foguete”, lembrou Sebben, destacando tanto os benefícios quanto os desafios desse crescimento rápido. Entretanto, com o advento dos computadores pessoais, a Datasys enfrentou um declínio nos negócios, passando de uma receita de US$ 7 milhões por ano para US$ 700 mil por ano entre 1994 e 2000, em um mercado que se tornou altamente competitivo. “De sem concorrentes a cem concorrentes”, salientou.

Reestruturação e novos rumos

Para enfrentar essa crise, a empresa passou por uma reestruturação profunda, renegociando dívidas, reduzindo salários e custos fixos e encerrando atividades em alguns locais. Em 2001, a Datasys se associou à Cetil de Blumenau (SC), criando a Dueto Tecnologia, que alcançou 45% do mercado de processamento de dados de prefeituras do Rio Grande do Sul. A Dueto foi vendida em 2019, transformando a Datasys em uma holding focada em investimentos financeiros e na divisão de software para recursos humanos, a Starh.

Sustentabilidade e inovação

A partir de 2008, Sebben e seus filhos lançaram a Biosys Ambiental, o braço de sustentabilidade do Grupo Datasys, que empreende vários negócios no setor ambiental. Ele destacou a Biosys Gerenciamento de Resíduos, criada em 2017, uma unidade focada na gestão de resíduos industriais com sede em São Sebastião do Caí.

Contribuições e reconhecimento

Paralelamente aos negócios, Sebben manteve ativa participação em diversas entidades empresariais e sociais, como a CIC Caxias, onde foi diretor de 1979 a 2021 e vice-presidente de Serviços na gestão de Nestor Perini, de 1990 a 1994. Além disso, participou dos quadros diretivos da Federasul, Fiergs, do Sindicato das Empresas de Tecnologia da Informação e Processamento de Dados do RS, Festa Nacional da Uva, Recreio da Juventude, Parceiros Voluntários, Fundação Caxias e também integrou o Grupo de Trabalho para Logística Reversa de Lâmpadas com Mercúrio do Ministério do Meio Ambiente.

Família e espiritualidade

Casado com Isabel Sebben desde 1973, com quem tem três filhos – Rafael, Guilherme e Eduardo – e quatro netos, Mario Sebben, hoje com 76 anos, ressaltou a importância de priorizar a família e cultivar o lado espiritual para equilibrar as exigências e a aridez do mundo empresarial. “Desistir nunca foi uma opção”, afirmou, referindo-se às dificuldades enfrentadas e superadas ao longo de sua trajetória.

Um pioneiro inspirador

Ao abrir a RA, o presidente da CIC Caxias, Celestino Loro, exaltou a trajetória exemplar de Sebben e reconheceu seu pioneirismo ao fundar a primeira empresa de processamento de dados do interior do estado. “Esse olhar inovador permaneceu com o passar dos anos, e as empresas do grupo continuaram se destacando pela implementação de tecnologias disruptivas, pois além do sucesso no setor de informática, Mario Sebben também se projetou ao atuar na área da sustentabilidade ambiental”, enfatizou Loro.

Compartilhe nas suas redes

Facebook Twitter Whatsapp