Mano fala em resolver problemas em curto prazo e revela conversa para mudar rumos do Inter

Equipe chegou ao quarto jogo consecutivo sendo derrotado

Publicado por
12:25 - 18/05/2023

Compartilhar:

Facebook Twitter Whatsapp
MANO MENEZES INTER

Foto: Ricardo Duarte/SC Internacional

A derrota por 2×0 para os reservas do América-MG ontem pelo jogo de ida das oitavas de final da Copa do Brasil novamente fez o torcedor do Inter questionar o trabalho que é realizado atualmente no Beira-Rio. Sem demonstrar reação na temporada, o clube vive situação delicada, sem vencer há cinco jogos. Para falar da atuação no Independência e também do atual momento, Mano Menezes concedeu entrevista coletiva após a partida.

Inicialmente o técnico Colorado falou da inconformidade do elenco com o desempenho e os resultados apresentados. Ele começou as explicações lamentando o fato de ter perdido para uma equipe quase totalmente reserva:

“Perdemos para uma equipe que optou por uma formação quase que reserva, e a gente depois de ter iniciado com a produção boa, caiu nas dificuldades. O adversário bastante atrás, a gente não conseguia penetrar nesse bloco e não conseguiu criar mais chances de qualidade”, ressaltou o técnico.

Ao longo da segunda etapa, o meia Alan Patrick e também Bustos, esse já no final do jogo, foram expulsos. Nesse tempo, o América-MG conseguiu fazer seus dois gols de pênalti. Dificuldades de entendimento da situação que o jogo oferecia também foi citado por Mano.

“Tínhamos que vencer de qualquer jeito, temos qualidade de jogadores para vencer mesmo que não tivesse feito uma atuação brilhante, e não vencemos, então esse é o problema que levamos e temos que resolver em curto prazo”, admitiu.

Após o jogo uma situação chamou bastante atenção, que foi a demora para o técnico Colorado aparecer na sala de imprensa para a coletiva. Questionado se essa demora seria por conta de uma possível entrega de cargo, foi revelada uma conversa entre direção, comissão e jogadores, visando sair desse momento

“A demora se deu pela necessidade de termos uma conversa muito clara entre todos nós para a continuidade do trabalho e a crença que nós mesmos resolver o problema que nos metemos. Era fundamental que, olho no olho, tivéssemos uma postura de grupo, que está passando por uma dificuldade extrema, não vamos esconder isso, não tem como esconder, mas o torcedor e nós só temos dois caminhos: ou nós acreditamos na nossa capacidade de fazer, construir e de trabalhar, ou nós acreditamos naqueles que querem sempre destruir as coisas que os outros tentam fazer. O Internacional só tem um caminho, acreditar naqueles que estão aqui no dia a dia trabalhando”.

A resposta da equipe, segundo o comandante tem que ser dada em um curto período de tempo:

“Já descemos no máximo que podíamos descer e num curto espaço de tempo temos que dar resposta”. No final da entrevista, ele disse que “se não sentisse algo positivo (na conversa no vestiário) não estaria aqui falando como treinador do Internacional”.

O próximo compromisso do Inter é no domingo (21), contra o Grêmio, na Arena. A partida está marcada para iniciar às 18h30, ela que é válida pela sétima rodada do Campeonato Brasileiro.

Compartilhe nas suas redes

Facebook Twitter Whatsapp