Jovem morre afogado no Rio Caí, em Vale Real

Mergulhadores dos Bombeiros Voluntários de São Sebastião do Caí, em apoio aos Bombeiros Voluntários de Bom Príncipio, localizaram a vítima…

Publicado por
12:55 - 31/12/2020

Compartilhar:

Facebook Twitter Whatsapp

Mergulhadores dos Bombeiros Voluntários de São Sebastião do Caí, em apoio aos Bombeiros Voluntários de Bom Príncipio, localizaram a vítima de afogamento nas águas do Rio Cai, em Vale Real, na manhã desta quinta-feira (31).

A vítima é um jovem, de 19 anos, morador de Antônio Prado. O nome dele não foi divulgado até o momento. Conforme os Bombeiros, ele afogou-se nesta manhã e, após cerca de 30 minutos de trabalho dos Mergulhadores Caienses, o corpo foi localizado em um “poço” de cerca de cinco metros de profundidade.

O Corpo de Bombeiros Militares de Caxias do Sul esteve no local, mas não houve a necessidade de trabalho, devido a rápida localização da vítima.

Em 13 de novembro e 21 de dezembro, outros dois homens morreram afogados no Rio Caí.

Atenção e cuidados

A reportagem do Portal Leouve conversou com o Corpo de Bombeiros de Farroupilha para falar sobre cuidados que as pessoas devem ter ao frequentar os rios e balneários durante esse verão. Os sargentos Everaldo Vaz de Oliveira e Ewerton Silveira de Bittencurt explicaram sobre cuidados e procedimentos a serem tomados em caso de acidentes.

Com relação a balneários, muito populares na Serra Gaúcha, Everaldo explicou que existe uma obrigação de que nesses locais haja salva-vidas, para que caso ocorra um acidente, uma pessoa treinada e habilitada esteja pronta para agir. Outro ponto levantado foi a irregularidade dos terrenos em baixo da água, com pontos mais rasos e logo em seguida fundos, além da presença de pedras e galhos.

Caso ocorra um acidente, eles comentaram que o principal é ter cuidado na aproximação da pessoa que estiver se afogando. O ideal é arremessar algo flutuável, como uma tampa de caixa de isopor, galhos de árvores, cabos de vassouras ou, se tiver a mão, uma corda.

Caso não seja possível, Everaldo comentou como deve ser feito essa aproximação.
“O afogado, nesse tipo socorro, é ter atenção, já que o afogado pode acabar puxando a pessoa para baixo e aí termos duas vítimas. Numa se oferece o braço ou a mão, se oferece no máximo o pé, em que a pessoa possa segurar-se em uma base para poder puxar quem está dentro da água. Mas, sempre que possível, evitar a aproximação e tentar jogar algo para quem estiver se afogando”, disse.

Já no litoral, o ideal é ficar atendo as orientações que estão nas guaritas dos salva-vidas na Operação Golfinho, com corres de bandeiras que representam o perigo do mar. Vermelho, mar bravo, amarelo significa atenção e o verde representa mar calmo. Os salva-vidas são equipados com apitos, que devem ser respeitados pelos banhistas.

Ewerton também alertou os pais com os cuidados às crianças na praia. Conforme ele, água na cintura é o máximo que eles devem entrar, sempre com a supervisão de um responsável. Em caso de a criança se perder, a orientação é buscar ajuda nas guaritas, que se comunicam entre si para poder auxiliar a localizar a criança.

Compartilhe nas suas redes

Facebook Twitter Whatsapp