Interdição do acesso ao Viaduto 13 gera impasse no Vale do Taquari

Leia mais Nova companhia aérea deve operar em Caxias do Sul até o fim de março Confira os detalhes do…

Publicado por
10:54 - 22/06/2017

Compartilhar:

Facebook Twitter Whatsapp

Desde o último final de semana, o acesso ao Viaduto 13 localizado na cidade de Vespasiano Corrêa, na região do Vale do Taquari, e considerado um dos mais altos do mundo e o que possui o vão mais alto da América Latina, está bloqueado. O local, um dos principais pontos turísticos da região, foi interditado pela empresa Rumo, concessionária do grupo Cosan responsável pelo trecho, por questões de segurança.

O local, que atrai um número cada vez maior de visitantes, recebeu o reforço de segurança porque, de acordo com as leis de segurança do transporte ferroviário no Brasil, transitar sobre o vão e o túnel ferroviário é proibido. A preocupação da concessionária aumentou porque o número de pessoas que vão ao local para tirar fotografias ou até mesmo para praticar esportes radicais tem aumentado nos últimos meses.

O local, às margens do Rio Guaporé, está encravado em uma área de intacta de Mata Atlântica, o que aumenta o apelo turístico, sem falar na obra com 143 metros de altura e 509 metros de comprimento. O problema é que, além do acesso ser proibido, não há como garantir a segurança dos visitantes no local, onde apenas um muro baixo separa o turista do penhasco.

Para tentar contornar a situação e manter o turismo na região, a prefeitura da cidade e a Associação dos Municípios de Turismo da Região dos Vales (Amturvales) já encaminharam à empresa uma documentação buscando um entendimento.

Enquanto isso, a Rumo afirmou em nota que a proibição sempre existiu e que é restrita à área de ferrovia. A concessionária também afirmou que não há licença para atividades de empresas de ecoturismo ou esportes de aventura no local.

“O local é área operacional, destinado exclusivamente ao transporte de cargas e não deve ser utilizado sem autorização da Rumo e da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT). Caso a área seja utilizada irregularmente, a companhia tomará as medidas cabíveis”, informa a nota.

Compartilhe nas suas redes

Facebook Twitter Whatsapp