Farroupilha registra acumulado de chuvas cinco vezes maior que média histórica em apenas quatro dias

Dados são do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet)

Publicado por
14:49 - 03/05/2024

Compartilhar:

Facebook Twitter Whatsapp
FARROUPILHA

Foto: Prefeitura de Farroupilha/Divulgação

De acordo com dados levantados junto ao Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), Farroupilha registrou um acumulado de chuva cerca de cinco vezes maior que a média histórica dos meses de abril e maio somente nesta semana. No total, o acumulado é de 537.4 milímetros de chuva no período.

As medições do Inmet são realizadas entre às 9h da manhã de um dia e às 9h da manhã de outro, com isso, os dados apontam que entre a segunda e a terça-feira, o acumulado foi de 149.2mm. Entre a terça e a quarta-feira, o total de 166mm. Já entre a quarta e quinta-feira, o maior volume de chuvas foi registrado, com um acumulado de 172.6mm. E por fim, entre a quinta e essa sexta-feira, o total de 49.6mm.

Vale ressaltar que um milímetro de chuva equivale a um litro de água por metro quadrado, ou seja, Farroupilha registrou uma média de 500 litros de água por metro quadrado em apenas uma semana.

FARROUPILHA

Parque Salto Ventoso em Farroupilha (Foto: Prefeitura de Farroupilha/Divulgação)

Os números são ainda mais impressionantes se comparados com a média histórica de chuvas apontadas pelo Instituto Clima Tempo, com valores calculados a partir de um série de dados de 30 anos observados. Em comparação, a média do mês de abril é de 117mm, já a de maio é de 107mm.

Com este acumulado cinco vezes maior que a média histórica em apenas quatro dias, a cidade registrou estragos em diversas áreas e centenas de pessoas foram afetadas. No interior, houve queda de barreiras, bloqueios de vias e a retirada de moradores das áreas de risco. Na cidade, foram registradas queda de árvores e rompimento de tubulações, resultando no alagamento de algumas residências.

O Prefeito Fabiano Feltrin, através do Gabinete de Crise, decretou em um primeiro momento a situação de emergência, que logo passou a ser Estado de Calamidade Pública.

Na educação, as aulas foram canceladas em toda a Rede Municipal de Ensino nesta sexta-feira (03), visando a segurança dos alunos, funcionários e professores, devido às dificuldades de locomoção.

Rua Borges de Medeiros, bairro Pio X (Foto: Eduardo Garcia/Grupo RSCOM)

Na Assistência Social, a cidade criou estruturas capazes de receber possíveis desabrigados, além de uma campanha de arrecadação de doações que são revertidas para as famílias em situação de vulnerabilidade.

A Secretaria de Gestão e Governo publicou um decreto orientando que servidores municipais que não poderiam chegar ao trabalho devido aos bloqueios poderiam trabalhar no sistema home office, já os impossibilitados deste sistema e que também não pudessem chegar ao posto de trabalho, poderão realizar as compensações posteriormente.

Conforme o meteorologista do Inmet Eráclio Alves, a chuva deve continuar na cidade pelo menos até o próximo domingo (05), porém, com menos intensidade da registrada ao longo da semana. Uma condição de tempo firme deve começar apenas no início da próxima semana.

Compartilhe nas suas redes

Facebook Twitter Whatsapp