Estudo sobre fatores de risco para câncer na Serra Gaúcha é apresentado em Bento Gonçalves

Durante evento em Bento Gonçalves na última quarta-feira (28), o Instituto Tacchini de Pesquisa em Saúde apresentou os resultados do…

Publicado por
16:19 - 29/09/2022

Compartilhar:

Facebook Twitter Whatsapp

Imagem: Tiago Flaiban

Durante evento em Bento Gonçalves na última quarta-feira (28), o Instituto Tacchini de Pesquisa em Saúde apresentou os resultados do projeto sobre fatores de risco para câncer na Serra Gaúcha. O estudo apontou quais são os tipos de câncer com maior incidência e as principais causas encontradas durante as análises. Para seu desenvolvimento, a pesquisa teve a colaboração de 15 profissionais do ITPS, Universidade Federal do Rio Grande do Sul e Hospital de Clínicas de Porto Alegre.

Imagem: Tiago Flaiban

A biomédica PhD e investigadora principal do projeto, Juliana Giacomazzi, apresentou os resultados aos cerca de 50 presentes. Inicialmente, ela expôs um dado da Organização Mundial da Saúde que prevê até 2040 uma elevação de 76,5% nas incidências de câncer na América Latina e Caribe. Outro ponto abordado foi a tese de que fatores modificáveis têm impacto direto nos números. Na região, conforme apontou, existe uma ascendente no número de casos nos últimos 15 anos, verificados através de registros desde 2005. Atualmente, o Rio Grande do Sul é o segundo estado com incidência da doença em homens e 3º entre mulheres.

Ao longo do estudo observacional, foi feita a comparação de exposição a fatores de risco para câncer entre pacientes com a doença e pessoas sem. Foram avaliadas 1007 pessoas com câncer e o mesmo número de indivíduos sem, todos estes atendidos pelo Hospital Tacchini.

Tipos de câncer mais diagnosticados

Conforme apresentou o estudo, o câncer de mama é o mais diagnosticado na região com 311 casos, seguido de colorretal com 147 casos, próstata com 132, pulmão com 89 e, por fim, os outros tumores apresentaram 328 casos (linfoma não hodgkin, esôfago, laringe, estômago, pâncreas, melanoma, dentre outros).

Os fatores associados ao maior risco de câncer em um parâmetro geral foram de história familiar da doença em 1º ou 2º grau, tabagismo, consumo excessivo de álcool, exposição de solves e colas e exposição a pesticidas. Além destes principais fatores, foram detectados casos por conta de reposição hormonal.

Confira abaixo o vídeo do Instituto Tacchini sobre o projeto.

Compartilhe nas suas redes

Facebook Twitter Whatsapp