Equipamentos tecnológicos são entregues para qualificar o IGP-RS

Com investimento de mais de R$ 8 milhões, scanners 3D e cromatógrafo líquido estão entre os equipamentos entregues. Trabalho da instituição será reforçado nos locais de crimes e nas perícias laboratoriais

Publicado por
16:52 - 18/04/2024

Compartilhar:

Facebook Twitter Whatsapp
Equipamentos tecnológicos são entregues para qualificar o IGP

Foto: Rodrigo Ziebell/ Ascom GVG

O governo do Estado entregou ao Instituto-Geral de Perícias (IGP) quatro novos equipamentos nesta quarta-feira (17). O investimento de mais de R$ 8 milhões irá reforçar o trabalho da instituição nos locais de crimes e nas perícias laboratoriais. O governador em exercício, Gabriel Souza, participou da solenidade.

Os equipamentos foram adquiridos com recursos do Fundo Estadual da Segurança Pública (Fesp), do Fundo Nacional da Segurança Pública (FNSP) e do Fundo Nacional Antidrogas, do Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP).

Gabriel destacou a importância do investimento para o IGP. “Este investimento representa um avanço tecnológico para o Rio Grande do Sul, já que os novos equipamentos estão no nível dos melhores utilizados no mundo. Além de colaborar na elucidação de crimes, agilizando a justiça em muitos casos, eles também servirão para a identificação de vítimas em desastres naturais”, explicou.

Adquirido com recursos do FESP, o ForenScope Contactless Fingerprint é um equipamento forense com sistema óptico constituído de luzes e espelhos que possibilita o registro de imagens digitais de fragmentos papilares (impressões digitais) detectados em superfícies espelhadas. Com esse recurso, é possível coletar evidências sem a necessidade de se utilizar reveladores físicos e químicos. Foram adquiridas 12 unidades do equipamento, o que representa um investimento de R$ 3,5 milhões.

Outra inovação com a qual o IGP passará a contar é a plataforma RapidHit. Com investimento de aproximadamente R$ 1,1 milhão, com recursos do FNSP, o equipamento permite a execução de todas as etapas da obtenção de uma amostra de DNA em até 90 minutos. Ele é portátil e pode ser utilizado em alguns casos de identificação humana.

Os três scanners 3D, avaliados em pouco mais de R$ 2 milhões, adquiridos também com recursos do FESP, possibilitam escaneamento do local do atendimento, usando uma luz tipo laser e criando uma reconstituição em 3D do ambiente. O equipamento pode ser utilizado na preservação da cena do crime em perícias de engenharia e em reproduções simuladas de fatos.

O cromatógrafo líquido acoplado à espectrometria de massas foi adquirido com recursos do Fundo Nacional Antidrogas. O equipamento, que representa um investimento de quase R$ 2 milhões, é utilizado para a análise de substâncias, permitindo determinar a massa molecular com alto nível de resolução. Assim, é possível determinar a massa exata de uma substância, o que dá celeridade às análises, além de ser uma importante ferramenta na descoberta de novas drogas sintéticas.

Com informações do Governo do Estado

Compartilhe nas suas redes

Facebook Twitter Whatsapp