Eleita nova patronagem do CTG Rincão da Lealdade, em Caxias do Sul

Entidade enfrentou a segunda liminar no processo de reintegração de posse movido pelo Estado

Publicado por
15:47 - 23/05/2022

Compartilhar:

Facebook Twitter Whatsapp

(Foto: Divulgação)

Aos 68 anos de história, o CTG Rincão da Lealdade é o centro tradicionalista mais antigo na cidade de Caxias do Sul e o terceiro maior no Rio Grande do Sul. Sua história possui longas raízes com a trajetória vinculada à cidade. Nos últimos meses, a entidade se defendeu do segundo processo judicial, movido pelo Estado do RS, no qual está sendo requerida a área em que o CTG ocupa desde sua fundação. Na ocasião, uma liminar foi suspensa pela falta de apresentação do projeto de ampliação do Hospital Geral, que fica em uma área ao lado da entidade.

O novo patrão do CTG Rincão da Lealdade é o músico Anderson Oliveira, de 36 anos, e assume na administração da entidade até o ano de 2024. Junto com ele, assume como vice, Ricardo Comandulli, instrutor dos grupos de dança e Fredy Wendling, integrante da Invernada Veterana como sotacapataz financeiro. Ainda, formam o conselho eleito Rodrigo Pasquali, Marcos Palhano, Adriano Meng, Daniel Weber, Gabriel Bonfim, Maurício Duarte e Gilmar Damiani.

Anderson ampliou sobre os desafios que o CTG enfrenta e sobre o futuro da entidade, na busca de movimentar ainda mais os integrantes para as decisões, tornando-as conjuntas. “É um CTG que vem, assim como tantos outros, vem lutando para sobreviver porque a gente sabe que esses períodos de pandemia não foi fácil para as entidades tradicionalistas que sempre enfrentam dificuldades, mas esse período de pandemia ele assolou muito as entidades porque o CTG é a base de sustento deles são os eventos, são os bailes, enfim, outros eventos tradicionalistas, como rodeios, festivais, esses eventos estando parados, prejudicou muito a questão financeira das nossas entidades tradicionalistas. O CTG, obviamente, ele tem que ir se renovando, conforme vai passando o tempo as coisas vão mudando, os cenários vão mudando, e o CTG também precisa de uma renovação na questão de gestão. E a única coisa que nós prometemos, nós estabelecemos uma diretriz que é fazer uma gestão compartilhada, que é não tomar nenhuma decisão somente a patronagem. Tomar então, todas as decisões em conjunto com os integrantes da entidade”.

O novo patrão ainda liderou as mobilizações contra a retirada do CTG do local que ocupa há mais de 60 anos. O processo continua correndo, porém, ele ressalta que a entidade manterá conversas com a Procuradoria do Estado, onde busca uma alternativa justa para ambos os lados. Além disso, Anderson destaca que a área ocupada pela entidade não atrapalha as atividades desempenhadas pelo Hospital Geral, inclusive, o pátio do CTG Rincão da Lealdade segue servindo como estacionamento para a população que necessita de atendimentos no hospital.

Conheça algumas das muitas apresentações da entidade, a qual já participou de eventos nacionais e internacionais:

(Fotos: Anderson Oliveira/Divulgação)
(Fotos: Anderson Oliveira/Divulgação)

Compartilhe nas suas redes

Facebook Twitter Whatsapp