Dupla suspeita de balear travesti é presa em casa de prostituição, em Caxias

Dois suspeitos de tentarem matar um travesti a tiros no mês passado em Caxias do Sul foram presos temporariamente em…

Publicado por
09:36 - 04/06/2019

Compartilhar:

Facebook Twitter Whatsapp

(Foto: Maicon Rech/Grupo RSCOM)

Dois suspeitos de tentarem matar um travesti a tiros no mês passado em Caxias do Sul foram presos temporariamente em uma ação da Polícia Civil nesta terça-feira (4). A operação ocorreu nas primeiras horas da manhã em uma casa que funciona como ponto de prostituição na Rua Visconde de Pelotas, na área central da cidade. Além das prisões, foram cumpridos mandados de busca e apreensão na residência.

De acordo com Rodrigo Kegler Duarte, titular da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DPHPP), a investigação teve início com o caso de tentativa de homicídio na noite de 1° de maio na Avenida Júlio de Castilhos. Porém, a situação também passa a ser analisada como rufianismo, que é a ação de explorar, estimular ou favorecer o comércio carnal ilícito.

“Uma tentativa de homicídio com pano de fundo de exploração sexual, o rufianismo, onde se exigiam determinados valores para que a vítima se prostituísse. Isso acabou em um desentendimento entre a vítima e os exploradores, que redundou no início do mês de maio nessa tentativa. Um travesti foi baleado e por sorte não faleceu”, diz.

O delegado afirma que a residência era utilizada como moradia e local de prostituição. Segundo Duarte, celulares e documentos foram apreendidos na operação para auxiliar na sequência das investigações.

“Sim. Era dado tanto abrigo, quanto era o local onde se exercia essa função. A vítima morou por um tempo aqui. Depois, saiu por desavenças e, mesmo na rua, as ameaças continuaram. Então tem toda essa questão. Não somente quanto à vítima, quanto a outras pessoas que foram encontradas aqui”, reforça.

Foto: (Maicon Rech/Grupo RSCOM)

Rodrigo Kegler Duarte salienta, ainda, que os suspeitos tiveram participação ativa no crime e seriam os responsáveis por administrar o negócio.

“Ativa. São os autores da tentativa de homicídio, além de serem os administradores deste comércio ilegal, deste rufianismo”, completa.

O inquérito será finalizado dentro de trinta dias, tempo em que os suspeitos ficarão presos. Por conta do mandado ser temporário, os nomes dos detidos na operação da Polícia Civil não foram divulgados. A prática de cobrar, extorquir pessoas que se prostituem, também será amplamente investigada e, após o desfecho, encaminhada para as delegacias responsáveis pela jurisdição.

Cerca de 30 policiais civis, de todas as delegacias de polícia de Caxias do Sul, participaram da operação na área central. O trânsito chegou a ficar em meia pista durante o cumprimento dos mandados para quem seguia do Centro em direção ao Pio X.

Confira a entrevista com o delegado Rodrigo Kegler Duarte em áudio:

 

Fotos da ação (Imagens/Polícia Civil/Divulgação)

Compartilhe nas suas redes

Facebook Twitter Whatsapp