Controle populacional de pombas volta a ser debatido em Caxias do Sul

Um dos problemas mais antigos de Caxias do Sul voltou a pauta nesta segunda-feira (29): a superpopulação de pombas, em…

Publicado por
17:26 - 29/08/2022

Compartilhar:

Facebook Twitter Whatsapp
Controle populacional de pombas volta a ser debatido em Caxias do Sul

Controle populacional de pombas volta a ser debatido em Caxias do Sul (Foto: Marcos Cardoso/Grupo RSCOM)

Um dos problemas mais antigos de Caxias do Sul voltou a pauta nesta segunda-feira (29): a superpopulação de pombas, em especial aquelas localizadas no Centro da cidade. E, a prefeitura municipal apresentou algumas ações que visam garantir o controle populacional das aves, bem como evitar a proliferação de doenças que estes animais podem transmitir à comunidade.

Durante a apresentação das ações, conduzida pelo coordenador de proteção animal da Secretaria Municipal do Meio Ambiente (Semma), Paulo Bastiani, uma das respostas mais frisadas é de que não se trata de um extermínio dos animais mas, sim, de um controle populacional.

“O que a gente quer, e precisa, é um equilíbrio dessa população, que possa ter uma adequada convivência entre a população de aves e a população urbana de Caxias do Sul. É fundamental esse equilíbrio até para uma melhor qualidade de vida dos animais e que eles tenham assim uma condição melhor dentro do ambiente em que vivem, para que eles tenham um tempo de vida maior, qualidade de vida e menor incidência de doenças”, destacou Bastiani. Inclusive, esta sendo realizado um estudo entre a prefeitura e o Instituto Hospitalar Veterinário (IHVet) da Universidade de Caxias do Sul (UCS) para identificação de doenças que as pombas podem transmitir à população.

Paulo Bastiani coordenador de proteção animal da Semma (Foto: Marcos Cardoso/Grupo RSCOM)

Paulo Bastiani coordenador de proteção animal da Semma (Foto: Marcos Cardoso/Grupo RSCOM)

Outro ponto abordado, e que acaba acarretando no aumento populacional das pombas é “superalimentação” por parte das pessoas que trafegam, principalmente, pela Praça Dante Alighieri. Conforme Bastiani, este ato ao invés de ser uma “boa ação” contribuí para o desequilíbrio da espécie. Também, estes alimentos podem acarretar na presença de outros animais, como os ratos.

Em Caxias do Sul, de acordo com a legislação 7.654, instituída em setembro de 2013, é proibida a criação, manutenção e a alimentação de pombos em vias, praças, prédios e locais de acesso público na zona urbana do município. Hoje, o valor da multa é de R$400, este valor equivale a 10 Valor de Referência Municipal (VRM’s)

Ações para controle populacional de pombas

Dessa forma, foram apresentadas algumas ações que já estão em vigor pelo poder público municipal e outras que entrarão em atividade. Dentre os principais pontos está a educação ambiental para a população caxiense, principalmente no que diz respeito ao alimentar as pombas.

Ainda assim, a prefeitura e a Secretaria Municipal do Meio Ambiente intensificarão as fiscalizações para combater a alimentação das aves por parte da população. Também será intensificada a frequência de limpezas das praças e locais onde os animais se concentram.

Ações previstas pela prefeitura de Caxias do Sul (Foto: Marcos Cardoso/Grupo RSCOM)

Ações previstas pela prefeitura de Caxias do Sul (Foto: Marcos Cardoso/Grupo RSCOM)

Na última sexta-feira (26), foi encaminhado pelo Executivo à Câmara de Vereadores para que a multa a quem alimentar os pombos passe de R$400 para R$4.000,00.

Empresários do centro

Durante a apresentação, a empresária Cristina Dall’Agno também comentou sobre problemas que acaba enfrentando em seu estabelecimento, e que são causados pela superpopulação de pombas. Além das doenças, ela comentou sobre os gastos tem com limpeza.

Quanto a nível da questão da manutenção de um empreendimento saudável. Então, para isso, a gente tem que investir constantemente em dedetização, desratização, limpeza de calhas, limpeza de fogos. Às vezes, os entupimentos, enfim, provocam infiltrações. Então, são constantes investimentos para que o local fique saudável“, comentou a empresária.

Ela ainda afirmou que o controle populacional é importante principalmente por ser uma questão de saúde pública.

Compartilhe nas suas redes

Facebook Twitter Whatsapp