Confirmado o primeiro caso de Varíola dos Macacos em Caxias do Sul

Trata-se de uma mulher, adulta, que não tem histórico de viagem internacional

Publicado por
18:26 - 28/07/2022

Compartilhar:

Facebook Twitter Whatsapp
Confirmado o primeiro caso de Varíola dos Macacos em Caxias do Sul

Foto: Imagem ilustrativa

A Secretaria da Saúde de Caxias do Sul (SMS), informa que um caso de Varíola dos Macacos foi confirmado no município. Trata-se de moradora de Caxias do Sul, adulta, que não tem histórico de viagem internacional. O Estado emitiu a confirmação nesta quinta-feira (28).

A paciente procurou a rede de saúde, recebeu atendimento médico e foi orientada a permanecer em isolamento domiciliar mesmo antes do resultado do exame. Com a confirmação, a Vigilância Epidemiológica da SMS passa a realizar o acompanhamento de todos os contatantes em busca de possíveis casos suspeitos. A paciente segue sendo monitorada.

A Varíola dos Macacos, ou também conhecida como “monkeypox”, é uma doença viral. A transmissão ocorre pela exposição próxima e prolongada com pessoa infectada e sem máscara, contato físico direto (incluindo contato sexual, mesmo com uso de preservativo) ou contato com materiais contaminados, como roupas, toalhas, talheres, lençóis e outros.

Como são considerados os casos da Varíola dos Macacos

São considerados casos suspeitos pacientes que apresentem início súbito de erupção cutânea sugestiva de monkeypox (lesões profundas e bem circunscritas, que podem ser confundidas com outras doenças mais comuns, como sífilis secundária, herpes e varicela). A erupção cutânea pode ser única ou múltipla, em qualquer parte do corpo, e estar associada a febre, dor de cabeça, dores musculares ou nas costas e ínguas. Pacientes que observarem feridas ou manchas incomuns na pele devem procurar atendimento médico.

A prevenção se dá por meio do isolamento dos casos confirmados ou em investigação, uso de máscara e intensificação da higiene individual (lavagem de mãos) e ambiental (desinfecção de superfícies que o paciente tenha tocado).

Desde que os alertas sobre possíveis casos da doença começaram a ser emitidos no país, a SMS reforçou junto às Unidades Básicas de Saúde e hospitais as orientações sobre os sintomas que podem indicar suspeita. Além disso, promove capacitações para médicos e enfermeiros da rede de saúde.

Fonte: Assessoria de Imprensa

Compartilhe nas suas redes

Facebook Twitter Whatsapp