Confira imagens de satélite que mostram a destruição causada pela chuva no RS

Mais de 100 municípios foram afetados pelas cheias

Publicado por
12:33 - 21/09/2023

Compartilhar:

Facebook Twitter Whatsapp
CHUVA

Foto: Planet/SCCON do Programa Brasil Mais/Divulgação

Através das imagens de satélite que fazem parte do Programa de Monitoramento Rede Brasil M.A.I.S (Meio Ambiente Integrado e Seguro), do Ministério da Justiça e Segurança Pública, é possível ter noção do alcance da destruição provocada pelas fortes chuvas que atingiram o Rio Grande do Sul no início de setembro.

Por meio das fotos geradas diariamente, é possível mapear alagamentos em áreas rurais e urbanas de General Câmara, Taquari, Muçum e Encantado. Essa tecnologia auxilia o governo local para tomar decisões estratégicas e emergenciais, além de acompanhar a evolução da situação nessas áreas e orientar os esforços de reconstrução.

De acordo com as informações do governo do Rio Grande do Sul, as enchentes causaram estragos em dezenas de cidades gaúchas, além de provocar 49 mortes no Estado. Nove pessoas seguem desaparecidas.

Mais de 100 municípios foram afetados. Mais de 3.000 pessoas foram resgatadas e quase 360.00 afetadas. Quase 1.100 ficaram desalojadas. Ao menos, 943 pessoas ficaram feridas.

Foto: Planet/SCCON do Programa Brasil Mais/Divulgação
Foto: Planet/SCCON do Programa Brasil Mais/Divulgação

As imagens, que foram cedidas para a Agência Brasil, fazem parte do programa de monitoramento que disponibiliza para órgãos públicos, pesquisadores, entre outros interessados, registros de satélite da constelação da empresa estadunidense Planet, por meio de contrato entre a Polícia Federal e a SCCON, responsável pela plataforma.

As imagens geradas entram na plataforma, são organizadas, analisadas e, então, são gerados os alertas. Por exemplo, em uma área de queimadas, o satélite da Planet capta a imagem e a Plataforma SCCON gera o alerta de queimada.

Atualmente, o programa tem mais de 300 instituições governamentais cadastradas, com cerca de 43 mil usuários. Entre elas, estão órgãos como Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), órgãos estaduais de Meio Ambiente, Agência Nacional de Águas (ANA), polícias militares, entre outros.

Com informações: Agência Brasil

Compartilhe nas suas redes

Facebook Twitter Whatsapp