Concessionárias apostam no fim de semana, que pode ser o último do programa de descontos no Brasil

Lançado no último dia (05), o programa já disponibilizou quase 90% do total de recursos

Publicado por
08:13 - 24/06/2023

Compartilhar:

Facebook Twitter Whatsapp

Foto: Divulgação

As concessionárias apostam nas vendas neste fim de semana, que pode ser o último do programa de descontos do governo federal. Para o setor, o volume de crédito tributário autorizado pelo MDIC (Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços) para as montadoras pode acabar em menos de um mês no País.

Lançado no último dia 5, o programa já disponibilizou quase 90% do total de recursos. Segundo painel do MDCI, até esta sexta-feira (23), já foram liberados R$ 420 milhões para as montadoras, o que representa quase 90% do total previsto, de R$ 500 milhões.

Os créditos solicitados são convertidos em descontos para o consumidor na compra de carros com valor de mercado até R$ 120 mil. Os descontos patrocinados pelo governo vão de R$ 2.000 a R$ 8.000, mas muitas empresas têm aplicado margens maiores por conta própria.

Para Marcos Leite, diretor de vendas de uma rede de concessionárias que tem cinco lojas na cidade de São Paulo, a expectativa para este fim de semana é grande.

“As concessionárias anteciparam as compras e ainda têm estoque por alguns dias. No entanto, o mercado aqueceu e a demanda está grande, o que pode acelerar o fim dos veículos contemplados com os descontos do governo. Mas isso também depende do tipo de veículo”, explica Leite.

Ranking

Entre as montadoras, a Fiat lidera o volume de créditos solicitados, com R$ 190 milhões; é seguida por Volkswagen, com R$ 60 milhões, Peugeot (R$ 50 milhões), Renault (R$ 50 milhões) e Hyndai (R$ 40 milhões). Ford, General Motors, Mercedes-Benz, Nissan e On-Highway têm R$ 20 milhões cada uma.

De acordo com a Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores), o movimento nas revendas chegou a triplicar na primeira semana do programa. No entanto, a federação só deverá divulgar o impacto nas vendas no início de julho.

No mês passado, o segmento teve o pior maio desde 2016, com 166.361 carros novos vendidos. A queda foi de 5% em relação ao mesmo mês de 2022. A entidade estima que os créditos tributários autorizados pelo governo não devem durar muito mais do que 30 dias.

A assessoria de imprensa do Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços afirma que não há previsão para prorrogar os valores, a fim de manter a venda com descontos por mais tempo. “Até o momento não há nenhuma sinalização de prorrogação”, informou a pasta em nota.

Entenda o programa

Os carros, os descontos patrocinados pelo governo vão de R$ 2.000 a R$ 8.000 e são válidos para veículos novos com preço de mercado de até R$ 120 mil. As montadoras podem aplicar descontos adicionais por conta própria, como vem ocorrendo.

No caso de caminhões e ônibus, os descontos vão de R$ 33,6 mil a R$ 99,4 mil. As montadoras ampliaram a oferta de carros mais baratos no programa de descontos do governo federal, lançado pelo MDIC em 5 de junho. O número de modelos que podem ter descontos de R$ 2.000 a R$ 8.000 subiu para 266. Inicialmente, eram 232. Essas versões correspondem a 32 carros de nove montadoras.

Fonte: O SUL 

Compartilhe nas suas redes

Facebook Twitter Whatsapp