Com investimento de R$4,3mi, é assinada ordem de início de obra de viaduto em Gramado

Construção ficará na ERS-115, próximo do acesso a ERS-373

Publicado por
09:22 - 12/01/2023

Compartilhar:

Facebook Twitter Whatsapp
Viaduto ficará na localidade de Várzea Grande

Viaduto ficará na localidade de Várzea Grande (Foto: EGR/Divulgação)

Com valor de R$4,3 milhões, a Empresa Gaúcha de Rodovias (EGR) assinou, na manha da última quarta-feira (11), a ordem início das obras do viaduto na ERS-115, que ficará na localidade de Várzea Grande em Gramado, nas proximidades do acesso com a ERS-373, conhecida também como Avenida do Trabalhador.

De acordo com o diretor-presidente da EGR, Luiz Fernando Záchia, o novo dispositivo facilitará a travessia de veículos e organizará o tráfego, oferecendo mais segurança para motoristas e pedestres. “Estamos dando início a uma reivindicação histórica muito importante para os gramadenses, em especial para a comunidade de Várzea Grande. A construção desse viaduto representa encurtar distâncias, preservar vidas, incentivar a economia e facilitar os deslocamentos”, destacou.

Segundo o diretor técnico da EGR, Luis Fernando Vanacôr, o viaduto será construído em estrutura mista, ou seja, com as vigas de aço e a estrutura em concreto armado. Ele terá um vão de 26 metros entre as extremidades, 12 metros de largura e 5,5 metros de altura. “Além do viaduto, as intervenções contemplam a construção dos acessos e a realização de ajustes nas ruas do entorno”, completou Vanacôr.

O prefeito de Gramado, Nestor Tissot, ressaltou que a construção do viaduto é um marco beneficiará a comunidade de Várzea Grande e os turistas que visitam o município. “É uma conquista de décadas, que teve o envolvimento de muitas mãos para proporcionar aos moradores atravessar a rodovia e se deslocar pela região com mais segurança”.

Na obra, a EGR fará a terraplanagem, a drenagem, a pavimentação, a contenção, a obra de arte e a sinalização horizontal e vertical, além de todos os ajustes necessários. A execução ficará a cargo do Consórcio DWDB, que é composto pelas empresas DW Engenharia e Dobil Engenharia. O valor investido é de recursos oriundos da praça de pedágio, e a estimativa para a conclusão é de quatro meses.

Compartilhe nas suas redes

Facebook Twitter Whatsapp