Cálculo inicial do governo gaúcho para apoio da União à reconstrução após o ciclone é de R$ 91,6 milhões

Comitiva liderada pelo governador gaúcho apresentou estimativa ao Ministério da Integração e do Desenvolvimento Regional

Publicado por
16:03 - 21/06/2023

Compartilhar:

Facebook Twitter Whatsapp

(Foto: Maurício Tonetto / Secom)

Uma comitiva liderada pelo governador Eduardo Leite apresentou nesta quarta-feira (21) ao MIDR (Ministério da Integração e do Desenvolvimento Regional), em Brasília, a primeira estimativa de recursos necessários para apoio da União à reconstrução de municípios afetados pelo ciclone extratropical que atingiu o Rio Grande do Sul na semana passada.

No total, o Executivo gaúcho calcula que são necessários cerca de R$ 91,6 milhões para recuperação dos principais estragos. Por se tratar de um cálculo inicial, o valor poderá aumentar.

“Esse foi o pior evento climático dos últimos 40 anos no Rio Grande do Sul. O governo federal tem sido muito atencioso e sensível às demandas do Estado. Trouxemos a Brasília uma comitiva com secretários estaduais e deputados para reforçar a mobilização por esse apoio. É importante que estejamos todos na mesma página e possamos agilizar os trâmites para auxiliar quem necessita”, afirmou o governador.

Ao titular do MIDR, Waldez Góes, o governador e a comitiva apresentaram um panorama dos efeitos do ciclone, que resultou em 16 mortes até o momento. Além disso, 54 municípios foram atingidos e há mais de 15 mil pessoas fora de casa, entre desabrigados e desalojados.

Em relação aos recursos necessários para reconstrução, inicialmente o Estado pede R$ 30,6 milhões para recuperação de rodovias, pontes e estradas vicinais; R$ 26 milhões para 88 escolas afetadas; R$ 20 milhões para hospitais e postos de saúde; e R$ 15 milhões para construção de casas.

Na reunião, também foram alinhados os fluxos para agilizar a decretação de situação de emergência nos municípios mais atingidos. Até agora, Maquiné e Caraá tiveram os decretos reconhecidos pela Defesa Civil nacional. A expectativa do governo do Estado é de enviar mais 40 decretos para a União nos próximos dias.

As demandas feitas ao governo federal serão analisadas pelas equipes dos ministérios. Integram a comitiva em Brasília, além do governador e do vice, os secretários da Casa Civil, Artur Lemos, de Assistência Social, Beto Fantinel, da Agricultura, Pecuária, Produção Sustentável e Irrigação, Giovani Feltes, de Desenvolvimento Rural, Ronaldo Santini, e de Planejamento, Governança e Gestão, Danielle Calazans, o procurador-geral do Estado, Eduardo Cunha da Costa, o chefe da Casa Militar e coordenador estadual de Proteção e Defesa Civil, coronel Luciano Boeira, a deputada federal Any Ortiz e o deputado estadual Elton Weber.

 

Compartilhe nas suas redes

Facebook Twitter Whatsapp