“Bastante decepcionante”. Mano Menezes avalia empate do Inter com o Nacional pela Libertadores

Colorado teve chances de ampliar, mas não aproveitou e tomou o gol de empate nos acréscimos

Publicado por
09:22 - 04/05/2023

Compartilhar:

Facebook Twitter Whatsapp
MANO MENEZES INTER

Foto: Ricardo Duarte/SC Internacional

Tinha tudo para ser uma noite de alegria para os torcedores colorados, mas que novamente ao final dela respostas para os problemas eram procuradas. O empate em 2×2 contra o Nacional-URU mostrou que o Inter perdeu dois pontos na Libertadores para ele mesmo, ao não fazer mais gols quando dominava amplamente o jogo. Más decisões, erros e apenas um ponto na conta. No final, um gol nos acréscimos para o visitante sacramentou o resultado de igualdade.

Após o empate, Mano Menezes e Carlos De Pena concederam entrevista coletiva para falar sobre este empate. O comandante Colorado disse ser “bastante decepcionante”, depois da atuação demonstrada, não vencer o jogo:

“É bastante decepcionante. Saímos duas vezes na frente, faz o gol aos 40 do segundo tempo e é uma coisa que seria extremamente positiva. Fica com aquele gosto de ter deixado escapar uma vitória importante”. Em sua visão, o time deve se organizar melhor para terminar os duelos com os três pontos, sem deixar que o adversário “ganhe ritmo”.

Além do gol marcado pelo zagueiro Mercado após cobrança de escanteio, o time teve ao menos três chances claras para ampliar o marcador na primeira etapa. Em uma delas, após cruzamento para a área, Wanderson colocou a mão na bola, esta que tinha como direção o meia Maurício, livre para marcar. Em outra oportunidade, Wanderson saiu na cara do goleiro, e tendo duas opções de passe com o gol aberto, decidiu finalizar, errando o alvo.

“Não era aquilo que nós planejamos, claro que não era, porque sabemos que o fator local na Libertadores influencia muito e como a tabela previa pra gente um primeiro turno com dois jogos em casa e um fora, nossa meta era fazer as duas vitórias em casa, e no mínimo pontuar fora. Não atingimos aquilo que era nossa ideia”, avaliou Mano.

Carlos De Pena também falou, ele que anotou dois gols nas últimas duas partidas, e o de ontem sendo contra o time que o revelou. Sobre o momento, ele falou sobre seu desempenho como um todo na temporada:

“Eu acho que quem mais se cobra quando não joga sou eu. Sei muito bem quando estou fazendo as coisas bem e quando não estou. Neste começo de ano teve jogos onde acho que joguei bem, e outros onde acho que não joguei bem”, justificou De Pena, para ter sido titular em alguns momentos, e reserva em outros.

Outro assunto bastante falado foi sobre o atual momento vivido por Keiller, ele que teve alguns lances muito criticados na partida de ontem, sendo apontado por muitos torcedores como principal responsável pelo placar final do jogo.

“A gente fez um planejamento exatamente para dar condicionamento a no mínimo dois goleiros para estar atuando a qualquer momento, até porque achamos que eles estão muito próximos tecnicamente, e vamos continuar fazendo isso”. Mano falou que vai chegar um momento onde ele vai ter enfim escolhido o goleiro do time.

Ainda sobre o assunto, Mano esclareceu que em sua visão, a atuação de Keiller não teve uma falha tão grave a ponto de ser “eleito” o culpado pelo resultado. Agora, o time se prepara visando o jogo contra o São Paulo, fora de casa pelo Brasileirão, no domingo (7).

Compartilhe nas suas redes

Facebook Twitter Whatsapp