Ao menos 10 crianças morreram de desnutrição na Faixa de Gaza nos últimos dias, diz UNICEF

Cerca de 16% das crianças menores de dois anos sofrem de subnutrição aguda no território palestino. Israel coloca obstáculos à entrada de ajuda por via terrestre

Publicado por
09:04 - 04/03/2024

Compartilhar:

Facebook Twitter Whatsapp
Ao menos 10 crianças morreram de desnutrição na Faixa de Gaza nos últimos dias, diz UNICEF

Foto: AFP/ Jovem Pan / reprodução

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) afirmou neste domingo (3), que pelo menos dez crianças morreram nos últimos dias na Faixa de Gaza, em decorrência de desidratação e subnutrição, em um hospital localizado ao norte do território. Cerca de 16% das crianças menores de dois anos sofrem de subnutrição aguda.

“As mortes de crianças que temíamos estão aqui, enquanto a subnutrição assola a Faixa de Gaza”, disse a diretora regional do UNICEF para o Oriente Médio e Norte da África, Adele Khodr, salientando que todas as dez crianças morreram no hospital Kamal Adwan.

Khodr também disse que “é provável que haja mais crianças lutando pelas suas vidas em um dos poucos hospitais que restam em Gaza enquanto muitas outras não podem receber qualquer tipo de cuidados devido à destruição da infraestrutura sanitária na Faixa”.

A diretora indicou que estas mortes são “previsíveis e totalmente evitáveis”, ao mesmo tempo que recordou que a falta generalizada de alimentos nutritivos, água potável e serviços médicos está afetando crianças e mães, dificultando sua capacidade de amamentar seus bebês, especialmente no norte de Gaza. “As pessoas estão famintas, exaustas e traumatizadas. Muitas estão se agarrando à vida”, disse.

Mesmo na cidade de Rafah, no extremo sul da Faixa e onde estão aglomerados cerca de 1,4 milhões de deslocados, 5% das crianças com menos de dois anos de idade estão “gravemente desnutridas”.

Khodr pediu que as agências de ajuda humanitária possam entrar no enclave palestino através de “múltiplos pontos de entrada seguros”, uma vez que vários países recorreram agora ao lançamento aéreo de assistência devido aos obstáculos que Israel coloca à entrada de ajuda por via terrestre.

Compartilhe nas suas redes

Facebook Twitter Whatsapp