Agricultores cobram plano de trabalho do Executivo nas comunidades rurais de Farroupilha

A reivindicação visa maior agilidade por parte da Prefeitura na resolução de problemas. Chuvas causaram perdas em diversas culturas, além de danos nas estradas com deslizamentos e interdições.

Publicado por
09:04 - 08/07/2024

Compartilhar:

Facebook Twitter Whatsapp
FARROUPILHA

Foto: Prefeitura de Farroupilha/Divulgação

A Câmara de Vereadores de Farroupilha sediou, na última semana, uma Audiência Pública para tratar dos prejuízos causados pelas fortes chuvas dos últimos meses em áreas rurais do município. Agricultores pedem um plano de trabalho por parte da Prefeitura para que os danos sejam reparados com maior agilidade. O evento contou com representantes do Executivo Municipal, entidades de Classe e a Deputados gaúchos.

Conforme alegou a presidente do Conselho Municipal de Agricultura, Márcia Georg, as chuvas causaram prejuízos na citricultura, cultura do milho e vitivinicultura. Grande parte desse prejuízo foi oriundo da decomposição do solo diante do alto índice de água acumulado.

Esse fator não causou apenas prejuízos na flora, mas também nas estradas que dão acesso as comunidades, causando deslizamentos, rachaduras e inviabilidade de tráfego, como apresentou o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Agricultores Familiares de Farroupilha (Sintrafar), Márcio Ferrari. O representante sindical expõe o sentimento coletivo dos produtores rurais em auxiliar na retomada das vias, mas ressalta uma falta de comunicação do Executivo para isso.

Sete representantes de comunidades distintas do interior fizeram coro a fala de Ferrari, onde ao mesmo tempo que oferecem apoio com máquinas e pessoas, também pedem um plano de trabalho do Executivo Municipal tanto nos casos pontuais como em ações preventivas de recomposição do solo e barreiras de contenção.

Foto: Câmara de Vereadores/Divulgação

Por sua vez, o Executivo Municipal, acompanhado da Defesa Civil do Município, ressalta o momento atípico que as chuvas causaram. Eles expuseram o ritmo de trabalho dado pelos servidores e a contratação de mais equipes para celeridade na desobstrução das vias. Através da Defesa Civil, o coordenador Enio Ferreira, enfatizou a prioridade na segurança e vida humana, entendendo que há pontos em que o trabalho foi mais moroso por conta da necessidade de assentamento do solo e drenagem natural das águas, para assim realizar a devida manutenção e travessia.

Ao todo foram mais de 400 ocorrências foram atendidas pela Defesa Civil e Secretarias Municipais de Obras, de Agricultura e de Planejamento. Todas catalogadas e inseridas em um Plano de Trabalho emitido à Defesa Civil Nacional.

A Audiência Pública foi uma proposta do vereador Roque Severgnini (PSB) e foi presidida pelo vereador presidente Davi de Almeida (PP) contando com a presença do deputado Estadual Elton Webber (PSB), e de representantes dos deputados estaduais Guilherme Pasin (Progressistas), Eduardo Loureiro (PDT) e da Deputada Federal Denise Pessoa (PT).

Compartilhe nas suas redes

Facebook Twitter Whatsapp