“A estratégia foi cercar a Serra Gaúcha com pedágios” diz prefeito de Carlos Barbosa sobre leilão de rodovias

O Grupo RSCOM segue ouvindo lideranças e entidades da Serra Gaúcha sobre o leilão do Bloco 3 de rodovias, que…

Publicado por
09:00 - 25/04/2022

Compartilhar:

Facebook Twitter Whatsapp

(foto: divulgação/egr)

O Grupo RSCOM segue ouvindo lideranças e entidades da Serra Gaúcha sobre o leilão do Bloco 3 de rodovias, que incluem a Serra Gaúcha, ocorrido em meados de março e que teve o Consórcio Integrasul como vencedor para instalar e explorar as praças de pedágios na região pelo período de 30 anos. Entre essas praças, uma deverá ficar no Km 11, da ERS-446, em Carlos Barbosa.

O prefeito Everson Kirch (PROGRESSISTAS) comentou que ficou chateado com a instalação da praça na cidade, já que, segundo ele, nada do que foi pedido durante as reuniões e encontros com o Governo foi contemplado no plano de concessão. Entre as principais demandas, o valor da tarifa, que na cidade pode chegar a R$ 7,84.

Conforme Kirch, a comunidade não é contra o pedágio, mas sim, dos valores abusivos que, se homologado o leilão, deverão ser praticados.

“Eu comentava nas reuniões que um valor de R$ 4,00, ninguém ia se importar de pagar para um carro; R$ 2,00 para uma moto; Entre R$ 7,00 e R$ 10,00 para um caminhão ou ônibus, ninguém ia se importar em pagar. Agora, quase R$ 8,00, ida e volta é um valor alto para quem precisa usar muito a rodovia. O Governo do Estado botou amarras no edital, botou mecanismos para desistimular a concorrência, desistimular a entrada de mais empresas e isso criou um problema muito grande para a comunidade”, disse.

LEIA MAIS 

“Em pouco tempo teremos pedágios de R$ 20,00 na Serra” diz Tiago Simon sobre leilão das rodovias

Ele alega ainda que houve pedidos para que os carros emplacados na cidade de Carlos Barbosa não pagassem o pedágio, o que não foi aceito. O prefeito diz estar preocupado com a comunidade de Forromeco, que ficará após a praça, quase na divisa com São Vendelino, e quem tem diversos moradores que trabalham e necessitam usar os serviços de Barbosa e que, nas palavras dele, se ficar desta forma, “terão que pagar para trabalhar”.

O prefeito também disse que há uma preocupação grande no aumentos dos preços dos produtos ao consumidor final com o que ele chama de cercamento da Serra com pedágios.

“A gente sabe que foi montada uma estratégia de cercar a região com pedágios. Tanto que teremos praças aqui, em Farroupilha, em Flores da Cunha, Antônio Prado, Bom Princípio… foi cercada a região inteira. Isso acarretará no aumento dos fretes e serviços e por consequência o aumentos dos preços, elevando uma inflação que já é muito alta em todo o Brasil. E nós são somos uma bolha, seremos afetados com isso”, disse.

Com relação a uma pressão da prefeitura para mais obras ou isenções para a cidade, Kirch diz não acreditar que isso ainda seja possível. O que ele prevê é um pedido junto ao Governo e ao DNIT, através até mesmo da Amesne, que não ocorra a estadualização da BR-470, que cruza Bento Gonçalves, Garibaldi e Carlos Barbosa.

Confira onde serão instaladas as novas praças de pedágio na Serra Gaúcha.

Compartilhe nas suas redes

Facebook Twitter Whatsapp