A bagunça no Inter e a entrevista de Mano Menezes após a derrota no Gre-Nal

Comandante demonstrou estar incomodado na coletiva sobre questionamentos de sua permanência no Beira-Rio

Publicado por
10:08 - 22/05/2023

Compartilhar:

Facebook Twitter Whatsapp
INTER MANO MENEZES

Foto: Ricardo Duarte/SC Internacional

Após a quinta derrota consecutiva no Brasileirão, desta vez por 3×1 para o Grêmio na Arena, pela sétima rodada da competição, o cargo do técnico Mano Menezes ficou em risco no Inter. As dúvidas sobre a continuidade do trabalho do técnico Colorado eram muitas.

Depois da derrota no clássico, o executivo de futebol William Thomas concedeu uma confusa entrevista, onde ao ser várias vezes perguntado sobre o futuro de Mano Menezes, não garantiu a continuidade, nem afirmou a saída, mas disse que a situação estava sendo avaliada internamente.

“Todos queremos mudanças. Há várias formas de mudar. O Mano é o técnico nesse momento. Continuaremos conversando e definiremos os próximos passos”, pontuou Thomas na zona mista da Arena do Grêmio.

Em um clima bastante pesado, Mano então chegou a sala de entrevistas para responder os questionamentos, que novamente se davam pela sua continuidade, ou não. Incomodado e interrompendo os repórteres, ele pedia para que as perguntas sobre o seguimento de seu trabalho fossem feitas à William Thomas.

“William não confirmou? Cadê o William? Precisamos fazer uma nova entrevista? Vocês querem perguntar de novo a ele?”, questionou Mano.

Sobre a derrota para o maior rival, ele avaliou que o início de jogo foi bom mas os problemas já vistos nos últimos jogos se repetiram:

“Tivemos o controle do jogo na maior parte do tempo, inclusive no primeiro tempo contra era 11 contra 11, mas nossos problemas se repetem em algumas questões técnicas, algumas tomadas de decisões, é isso que temos que corrigir para mudar nossa história recente”, avaliou.

Ele sente que no vestiário os jogadores ainda acreditam no trabalho que hoje é desenvolvido por sua comissão técnica, não vendo um descontentamento dos atletas no momento:

“Não sinto isso em nenhum momento, se senti isso pode ter certeza que não estaria eu dando continuidade ao trabalho. A conversa em Belo Horizonte foi para deixar bem claro aquilo que pensamos, a maneira que se conduz um trabalho quando se passa por um momento de extrema dificuldade como estamos passando”.

Sobre as mudanças que são feitas ao longo do jogo, Mano falou da substituição de seus volantes por desgaste físico:

“Faz quatro jogos, antes de hoje, que eu sempre substituo meus dois volantes por desgaste físico. Nenhum time do mundo substitui dois volantes por desgaste físico. Quando a gente chega nesse ponto alguma coisa muito grave aconteceu antes, e é esse o ponto de partida pelo qual nós começamos a entender o porque chegamos nesse ponto e essas coisas umas delas sempre vão levando as outras”, explicou ele, exemplificando quedas técnicas, decisões erradas entre outras.

Outra questão citada foi da exposição e de certa forma uma proteção sobre problemas do clube, que o comandante do time gaúcho disse poder ser seu maior erro no comando técnico do Inter:

“A gente não entra em detalhe, a gente respeita. Vocês já me perguntaram isso no passado, eu tentei proteger e talvez esse tenha sido meu maior erro, tentar proteger algo que não estava bom a ponto de interferir no trabalho como um todo”, admitiu.

Mano ressaltou que no atual grupo existe qualidade suficiente para apresentar resultados melhores que os vistos em campo, o principal problema apontado foi a preparação para a primeira parte da temporada. Agora a indefinição no comando do clube segue, com o presidente Alessandro Barcellos, que não deu entrevista após o jogo de ontem, definindo o futuro de Mano Menezes no clube.

O que parece haver neste momento no Inter é uma falha de comunicação, um rompimento entre comissão técnica e diretoria, uma falta de alinhamento na avaliação da recente sequência do time. Colocar Mano Menezes para falar após mais uma derrota, sem saber se será o técnico na quinta-feira foi um erro. Como também foi um erro o representante maior do clube hoje, o presidente Alessandro Barcellos não dar entrevista depois do jogo, colocando a figura de William Thomas para responder questionamentos sobre questões, que não são decididas por ele.

Em meio a tudo isso, o time se prepara visando o próximo jogo é mais um duelo importante, dessa vez pela Libertadores, quando o Inter joga na Venezuela contra o Metropolitanos. A partida ocorre na quinta-feira (25), a partir das 21h. O Colorado é o segundo colocado no Grupo B, com cinco pontos.

Compartilhe nas suas redes

Facebook Twitter Whatsapp