Brigada Militar de Três Coroas recupera espingardas furtadas de loja

Material havia sido subtraída de um estabelecimento de armas

Publicado por
13:29 - 27/10/2022

Compartilhar:

Facebook Twitter Whatsapp
Brigada Militar de Três Coroas recupera espingardas furtadas de loja

Foto: BM / Divulgação

Na noite de quarta-feira (26), por volta das 23 horas, a Brigada Militar de Três Coroas recebeu denúncia anônima, do local onde poderiam estar as espingardas furtadas de um estabelecimento na madrugada de sábado (22).

Furto de espingardas em uma loja

A guarnição deslocou ao endereço, Rua da Indústria, na área central, onde foram realizadas averiguações e encontrado em um matagal as cinco espingardas de pressão, oriundas de furto da loja de armas.

As armas avaliadas em aproximadamente R$ 20.000,00 foram entregues na delegacia para registro e posterior seriam restituídas a vítima. Ninguém foi preso nessa ação da Brigada Militar.

*Fonte 1º BPAT

Confira ainda no Portal Leouve

Quadrilha falsificava cartões para comprar comida na internet na região de Porto Alegre

A Polícia Civil investiga uma quadrilha que falsificava cartões de crédito para comprar e revender alimentos na Região Metropolitana de Porto Alegre, causando prejuízo de mais de R$ 2 milhões às instituições financeiras. Cinco mandados de busca e apreensão foram cumpridos, nesta quinta-feira (27), na Capital e em Viamão.

Denúncia dos comerciantes

Conforme a investigação, o golpe era feito pela quadrilha por meio da plataforma iFood, na modalidade de pagamento online. Contas falsas, com nomes e CPFs de outros brasileiros, eram utilizadas. Os suspeitos preferiam fechar compras com valores individuais baixos, para evitar que as vítimas identificassem as compras não autorizadas.

Os próprios mercados que atuam junto à plataforma fizeram a denúncia, desconfiando do elevado volume de compras feitas diariamente pelos indivíduos. Ao todo, mais de 2,3 mil transações fraudulentas foram realizadas. Os veículos responsáveis pela coleta dos pedidos foram flagrados em câmeras de monitoramento, o que deu corpo à investigação.

Compartilhe nas suas redes

Facebook Twitter Whatsapp