Funcionários da Voges de Caxias aprovam acordo para receber verbas trabalhistas

Trabalhadores e ex-funcionários da empresa Voges, de Caxias do Sul, aprovaram em assembleia na quarta-feira (19), a proposta de compra…

Publicado por
13:44 - 20/09/2018

Compartilhar:

Facebook Twitter Whatsapp

Maioria dos presentes aprovou a proposta dos investidores (Foto: Uliane da Rosa/divulgação)

Trabalhadores e ex-funcionários da empresa Voges, de Caxias do Sul, aprovaram em assembleia na quarta-feira (19), a proposta de compra da fábrica. A maioria dos presentes aceitaram os valores apresentados pelos cinco investidores. Eles ofereceram R$ 40 milhões, sendo R$ 20 milhões para pagar as verbas trabalhistas e R$ 20 milhões para investir na expansão da empresa que receberá outro nome.

Maioria dos presentes aprovou a proposta dos investidores (Foto: Uliane da Rosa/divulgação)

O valor para as verbas trabalhistas será pago em igual proporção para todos que têm créditos. Cada um receberá em torno de 20% a 25% do que lhe é devido.

Valdecir de Lima, advogado do Sindicato dos Metalúrgicos, está em contato com os investidores há um ano e viu nessa proposta a possibilidade de que as pessoas recebam pelo menos uma parte da dívida da Voges.

“Talvez essa fosse a última oportunidade de que os trabalhadores recebessem algum valor de seus créditos. Desde o início do processo da Voges, essa foi a única vez que recebemos uma proposta concreta e aceitável”, diz.

Investidores

A Biehl Metalúrgica S.A. é a representante oficial dos cinco investidores, três deles brasileiros e dois estrangeiros. A empresa está localizada em São Leopoldo.

O advogado Eduardo França falou em nome dos investidores nas assembleias. Ele destacou dois pontos da proposta: manutenção dos empregos atuais em Caxias do Sul e, em caso de contratação, dar prioridade aos que já trabalharam na Voges Motores.

A proposta e a decisão dos trabalhadores e ex-funcionários será apresentada na assembleia de credores, na próxima segunda-feira (24) no Jockey Clube. A venda só poderá ser concretizada com a aprovação da maioria dos presentes em, ao menos, duas classes (1ª classe: trabalhistas, 2ª classe: credores com garantia real e 3ª classe: quirografários).

Em caso de aprovação da venda na assembleia, os valores começam a ser pagos pelos investidores ainda em outubro.

Compartilhe nas suas redes

Facebook Twitter Whatsapp