Sartori, o piso e a mídia

Ouça o comentário:{audio}/images/arquivos/audios/gerson.lenhard/gers2310.mp3{/audio} Evidente que a tecnologia veio para o bem e nos ajuda muito no dia a dia, mas…

Publicado por
17:09 - 23/10/2014

Compartilhar:

Facebook Twitter Whatsapp

Ouça o comentário:{audio}/images/arquivos/audios/gerson.lenhard/gers2310.mp3{/audio}


Evidente que a tecnologia veio para o bem e nos ajuda muito no dia a dia, mas quando resolve falhar, nos atrapalha em muito. Ontem mesmo, por ocasião do julgamento no TCE de contas do ex-prefeito Roberto Lunelli, pretendíamos, aqui na rádio, acompanhar a sessão on line. O serviço estaria disponível, de modo que não encaminhamos repórter até o tribunal. Pois a página do TCE, ao contrário do ´prometido, não permitiu acesso. Problemas de rede. Deste modo ficou prejudicado todo o desenrolar da acusação e da sustentação oral de defesa do ex-prefeito. O que se sabe é que ele foi condenado a devolver 870 mil reais de um contrato com a Fundação José Bonifácio, do RJ. O serviço não teria sido executado, mas o pagamento aconteceu. Além de ter que devolver o montante, Lunelli, que quer recorrer da decisão, ainda pagará multa de 1.500 reais.


Outra consequência é que, quando transitar em julgado, Lunelli ficará inelegível por oito anos e este prazo só findará depois que a sentença – ou seja, o pagamento – for cumprida.

 

Falando em eleições agora: o pessoal se queixa que o PT e quem coordena as propagandas do partido, é muito violento ao desconstruir as candidaturas de seus oponentes. Que o digam Marina, Aécio e agora Sartori.


O candidato do PMDB aliás teve uma boa campanha de marketing. Foi apresentado como gente séria, o gringo que faz, meio colono. A dúvida que os adversários estão colocando em nós é se este personagem criado em torno de Sartori é mesmo um personagem ou se dali não sai mais nada mesmo. E esta dúvida quem fomentou, quem deu munição foi o próprio Sartori. Inicialmente não conseguiu expressar ao programa de internet La Urna qualquer proposta concreta. Depois fez a infeliz brincadeira em torno do piso salarial do magistério falando para o portal Terra.


Então a resposta veio em tom de queixa feita pelo próprio Sartori, que ninguém deve duvidar, fez uma brincadeira descontraída. Pode até ser, mas ele sabia que estava sendo filmado. Não imagine ele que na condição de Governador do Estado será poupado pela mídia sempre tão crítica no RS. Vai precisar ser treinado para enfrentar e evitar situações semelhantes. E olhe que estamos falando de um político que tem vários mandatos como vereador e deputado e também dois mandatos como prefeito de Caxias.


Enfim, ontem o TRE proibiu a propaganda reproduzindo sua frase sobre o piso que tem na Tumeleiro. Mas aí o estrago já estava feito. Só não se sabe em que proporção. 

Compartilhe nas suas redes

Facebook Twitter Whatsapp