É só mais uma eleição

O Brasil está rachado; o Rio Grande do Sul dividido. As pessoas expressam opiniões que beiram ao preconceito, roçam a…

Publicado por
20:29 - 07/10/2014

Compartilhar:

Facebook Twitter Whatsapp

O Brasil está rachado; o Rio Grande do Sul dividido. As pessoas expressam opiniões que beiram ao preconceito, roçam a intolerância, flertam com teorias absurdas que no mais das vezes não passam de ficção.


Sei que a política é assim: sem escrúpulos, suja, injusta. Mas sempre pensei que a falta de ética, este abuso nas acusações, fosse uma exclusividade dos políticos e nascesse no ambiente dos diretórios, comitês ou do legislativo até. Não é mais. Agora está na boca do povo, no bar, nas redes sociais e, se bobear, na igreja, entre um Pai Nosso e o ato da confissão.


A gente vai dormir sem saber ao certo que inimigo arrumou por ter votado no partido A ou B. Vota em Aécio é “coxinha” de direta; vota em Dilma perdeu a razão por acompanhar esta “gente sem noção”.


É, a vida já não estava fácil e agora vem a política e nos impõe uma decisão, então as pessoas – e talvez deva me incluir aí – trazem o seu pior para compartilhar.


Mas, será que precisa? Os argumentos são quase sempre terminais. O caos está ali na frente. A impressão é que as pessoas estão desesperadas tentando encontra um caminho. Parece que caminhamos numa trilha estreia e escura e dos dois lados só há precipício.


O país parece fadado a sucumbir ao pior dos mundos se o nosso voto, o meu e o teu, não forem o voto certo.


Olha, não é bem assim. O país, o estado, vão resistir e nós vamos sobreviver, com implicações que virão da opção da maioria. O inconformismo quanto a esta escolha da maioria, se ela não estiver de acordo com o nosso desejo é lícita, mas não deve nos paralisar nem fazer ter vontade de desistir.


A política e as opções feitas são um capítulo na nossa vida como tantos outros. Se você não tem pretensões, não quer um emprego talvez não devesse sofrer tanto. Porque sempre há quem pinte o pior cenário pra te convencer a ir pro outro lado, quando o bom pra nos seduzir seria mostrar o cenário de céu azul que o candidato pode te trazer. Enfim, o que gostaria mesmo era que estas duas semanas de debates e propaganda do segundo turno nos trouxessem mais ideias, programas e propostas do que denúncias, este seria o meu desejo para hoje.

Compartilhe nas suas redes

Facebook Twitter Whatsapp