RS tem 81 pontos próprios para banho e dez impróprios

Considerando todos os resultados da temporada, 89,3% foram próprios e 10,7%, impróprios

Publicado por
15:03 - 02/03/2024

Compartilhar:

Facebook Twitter Whatsapp
RS tem 81 pontos próprios para banho e dez impróprios

Foto: Ivan de Andrade/ Prefeitura de Imbé

Após 16 semanas de monitoramento, a Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam) encerrou, nesta sexta-feira (1º), a temporada 2023/2024 do projeto Balneabilidade. O último boletim desta edição aponta 81 pontos próprios para banho e dez na condição imprópria. São eles:

Barra do Ribeiro – Praia Recanto das Mulatas – Lago Guaíba

Candelária – Balneário Carlos Larger – Rio Pardo

Pelotas – Valverde – Trapiche

Pelotas – Valverde – Av. Sen. Joaquim A. de Assunção

Pelotas – Santo Antônio – Rua Bagé

Pelotas – Santo Antônio – Av. Rio Grande do Sul

Pelotas – Santo Antônio – Restaurante

Restinga Seca – Balneário das Tunas – Rio Vacacaí

Tapes – Balneário Rebelo

Tapes – Praia do Pinvest

Entraram para a lista de impróprios dois pontos em Tapes. Os demais já haviam sido elencados na semana anterior e se mantiveram.

A recomendação é que os banhistas evitem pontos impróprios e arredores, especialmente junto às águas que chegam às praias por tubulação, arroios ou rios. O alerta vale principalmente para crianças, idosos e pessoas com baixa imunidade. Os sintomas mais comuns após o banho em áreas contaminadas são diarreia, dor abdominal e enjoos.

Balanço da temporada

O monitoramento semanal das águas oceânicas e interiores em 91 pontos do Estado teve início em meados de novembro, com a divulgação do primeiro boletim em 15 de dezembro. Considerando todos os resultados da temporada, 89,3% foram próprios e 10,7%, impróprios. Na temporada anterior, o percentual havia sido 3,8%.

Apesar de um aumento no registro de locais impróprios, o percentual de próprios em relação ao total monitorado foi de quase 90%”, pondera o presidente da Fepam, Renato Chagas. “A produção e divulgação de dados permite aos órgãos de saneamento que avaliem ações com foco nos balneários que exigem mais atenção”, complementa.

Coordenadora do projeto, a geóloga Cátia Vaghetti, analista do Departamento de Qualidade Ambiental (DQA) da Fepam, ressalta que, nos próximos meses, a equipe trabalhará no desenvolvimento de um relatório, que reunirá dados consolidados do monitoramento. “A partir de março, começamos a organizar a próxima edição, que deve iniciar em novembro de 2024”, antecipa.

Fonte: Governo do Estado

Compartilhe nas suas redes

Facebook Twitter Whatsapp