Tragédia climática no Rio Grande do Sul: mais de 2 milhões de pessoas são afetadas

As fortes chuvas e enchentes afetaram diretamente 2.304.422 pessoas em 461 municípios, resultando em 155 mortes, 540.188 pessoas desalojadas e 77.202 abrigadas em locais provisórios

Publicado por
15:41 - 19/05/2024

Compartilhar:

Facebook Twitter Whatsapp

Foto: Mauricio Tonetto / Secom

Dados atualizados publicados neste sábado pelo governo do Rio Grande do Sul revelam a extensão da tragédia climática que assola o estado desde o final de abril. As fortes chuvas e enchentes afetaram diretamente 2.304.422 pessoas em 461 municípios, resultando em 155 mortes, 540.188 pessoas desalojadas e 77.202 abrigadas em locais provisórios.

Esforços de Resgate e Ajuda Humanitária

Uma mobilização significativa de forças de segurança federais, estaduais e voluntários tem sido crucial para os esforços de resgate. Até agora, 82.666 pessoas e 12.215 animais foram resgatados das áreas mais afetadas. As operações de resgate continuam sendo uma prioridade, com equipes dedicadas trabalhando incansavelmente para alcançar aqueles que ainda estão ilhados.

Consequências das Chuvas

Desde o dia 29 de abril, o Rio Grande do Sul enfrenta chuvas intensas que provocaram o transbordamento dos principais rios do estado. Esse evento causou danos extensivos a imóveis, estradas e pontes, deixando várias cidades completamente isoladas. A magnitude da destruição demanda uma resposta coordenada e imediata das autoridades.

Resposta Governamental

Para enfrentar essa crise, o governo estadual e o federal estão colaborando na formulação de estratégias para a reconstrução dos serviços e da infraestrutura. Uma das ações foi a promulgação, pelo Congresso Nacional, de um projeto de lei proposto pelo governo federal que permite excepcionalizar os gastos relacionados à reconstrução do estado, acelerando o repasse de verbas necessárias.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou que não faltarão recursos para atender às necessidades do Rio Grande do Sul e que qualquer obstáculo burocrático será removido para agilizar a assistência ao estado. “Não haverá impedimento de burocracia para atender o estado”, afirmou Lula.

tragédia climática

Compartilhe nas suas redes

Facebook Twitter Whatsapp