Pesquisa da Fecomércio-RS revela menor índice de famílias inadimplentes, em três anos

Entre março de 2023 e fevereiro deste ano, indicador caiu 4,8%. Percentual de expectativa de quitação de dívidas também reduziu no período

Publicado por
16:44 - 09/04/2024

Compartilhar:

Facebook Twitter Whatsapp

Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Os dados fazem parte da edição de março da Pesquisa de Endividamento e Inadimplência das Famílias (PEIC-RS), realizada pela Fecomércio-RS. A pesquisa foi desenvolvida nos últimos 10 dias de fevereiro. O município de Porto Alegre representa o Estado na pesquisa nacional da CNC. Conforme o levantamento, o percentual de famílias endividadas no Estado, em março, foi de 88,3%. No mesmo mês do ano passado, o percentual foi de 93,1% e, em fevereiro deste ano, chegou a 89,1%.

A boa notícia é de que, apesar de elevado, se trata do menor percentual desde novembro de 2021, que foi de 86,1%. A parcela da renda comprometida com dívidas ficou relativamente estável em 26,5%. Contudo, o percentual de famílias que se auto classificou como “muito endividados” voltou a aumentar, alcançando 28,6%. Esse percentual foi de 27,3% no mês anterior e de 22,8% em março de 2023. O tempo de comprometimento com dívidas foi, na média, de 6,1 meses, inferior aos 7,4 meses de março de 2023.

O percentual de famílias com contas em atraso foi de 36,1% – o menor desde março e 2022 (35,3%). Em relação ao mês anterior (37,7%), houve queda e, na comparação com março de 2023, (41,4%) também houve recuo. Esse comportamento se disseminou por entre os grupos de renda avaliados pela pesquisa, e, embora ainda seja elevado, tem seguido uma tendência de queda nos últimos quatro edições da pesquisa.

A pesquisa também revela que o percentual das famílias, e que não devem ter condições de quitar nenhuma parte da dívida nos próximos 30 dias, atingiu 1,9%. Foi o menor desde março de 2023 (1,8%). Em fevereiro deste ano, o índice foi de 2,1%.

Compartilhe nas suas redes

Facebook Twitter Whatsapp